O primeiro-ministro Justin Trudeau afirmou que o país precisa ser um exemplo para o mundo ao forçar as pessoas a serem receptivas e amigáveis com transexuais, além de colocar na cadeia quem não usar os nomes de guerra e pronomes exigidos pelos mesmos. A promessa de aprovar esta lei havia sido feita durante sua campanha. O esquerdista disse que "discurso de ódio" e "transfobia" serão totalmente inaceitáveis no seu país a partir da aprovação da lei. O tema tem causado uma tempestade política também nos Estados Unidos.

"Temos que continuar exigindo igualdade verdadeira", disse Trudeau, em Montreal. "Temos que carregar o legado daqueles que lutaram por justiça sendo ambiciosos nas suas ações e temos que trabalhar diligentemente para acabar com a distância entre nossos princípios e nossa realidade.", completou.

Publicidade
Publicidade

O projeto de lei foi apresentado ao parlamento na terça-feira, 18 de outrubro, e tem a intenção de proibir a "transfobia", punindo severamente quem não for receptivo e amigável com transexuais dentro do escopo da Lei de Direitos Humanos do Canadá. A lei já punia quem dissesse qualquer coisa negativa a respeito do homossexualismo e deixasse de contratar ou demitir uma pessoa pelo único motivo de ela ser #gay, por exemplo. Agora isso se aplicará também às travestis e transexuais femininos.

Trudeau usou um caso em que dois homens foram atacados ao sair de um bar em Montreal para defender o uso de força contra não só quem agride gays, mas qualquer pessoa que faça brincadeiras e demonstre qualquer tipo de animosidade ou desaprovação do homossexualismo e transexualismo. Para ele, tudo começa nas pequenas coisas.

Publicidade

"Incidentes desse tipo acontecem demais por aqui. Eu sinceramente acredito que no Canadá podemos fazer mais pelos gays. Não apenas aqui, mas temos que sinalizar para o resto do mundo que uma sociedade livre é a maior coisa que podemos desejar juntos", defendeu.

A legislação vem justamente na hora em que os Estados Unidos estão numa batalha a respeito do "direito dos transgêneros". Em março foi aprovada a "Bathroom Bill", uma lei exigindo que homens transgêneros possam usar banheiros públicos junto com meninas e mulheres. O debate, que tem causado discórdia entre conservadores e progressistas, tem tudo para ser quente também no Canadá. Mais de 1000 pessoas saíram às ruas de Alberta no domingo para protestar contra lei similar apresentada pelos deputados canadenses.

Veja também:

Após breve comemoração da prisão de Cunha, cúpula do PT cai na real

Atris global mostra os seios em vídeo e fala do silicone