A família inglesa de Rosie está em choque, depois de ter passado por um enorme susto. Na tentativa de fazer uma boa ação, adotaram um adolescente refugiado afegão de 12 anos, que, na verdade, era um terrorista Talibã, muito bem treinado e que tinha 21 anos de idade.

De acordo com o jornal The Sun, Rosie que não quis revelar seu nome completo, afirmou que ela e o marido se sensibilizaram com história do suposto “garoto” de 12 anos chamado Jamal. Pois, segundo informações de assistentes sociais, ele vivia num acampamento para refugiados afegãos, na cidade de Calais, na França. Ele informou às autoridades que tinha 12 anos e ainda era órfão de pai e mãe.

Publicidade
Publicidade

Comovidos com a história triste do “menino”, na intenção de reduzir o seu sofrimento em perder os pais, resolveram dar ao “adolescente”, uma oportunidade de ter novamente uma família.

A mulher afirmou ainda que teve o coração partido, ao vê-lo no acampamento tão magrinho, e acrescentou que ele era muito humilde e educado.

Após a adoção de Jamal, Rosie, com a convivência diária, começou a achar estranho o comportamento de seu filho adotivo. E percebeu também que o rapaz era muito peludo para um adolescente de 12 anos. Ela então percebeu que se passava algo de errado com ele. Ela contou também que sabia manusear muito bem uma arma.

Ela decidiu levar o jovem a um dentista da família, que, após avaliar sua arcada dentaria, afirmou para mulher que o rapaz deveria ter entre 21 e 22 anos.

Rosie disse que, certa vez em um passeio, a família foi para uma escalada, e que Jamal subiu pelas cordas com extrema facilidade e possuía muita habilidade para escalar.

Publicidade

E, ao chegar numa escola de tiros, ele, antes de atirar, ele desmontou a arma, e que, por sinal, também atirava muito bem.

O filho adotivo acabou sendo expulso do ônibus, pois o motorista o achou muito velho. Ela entristeceu também, pois ele mudou muito o comportamento com os outros filhos dela. E passou a receber ligações de origem internacional. Ao mexer no celular dele encontrou fotos de grupos terroristas cometendo abusos contra crianças.

A mãe adotiva então confrontou o jovem que, ao se sentir pressionado, ameaçou e sua família, em especial seus filhos. Ela ficou apavorada, pois ele conhecia toda rotina da família. Com medo, mudaram os hábitos diários e deixaram de frequentar lugares em que iam com ele.

O rapaz foi devolvido à assistência social e foi detido por agressão. A família ainda está  muito assustada com tudo que aconteceu, e disseram que essas adoções deveriam ser mais supervisionadas. Levar os refugiados ao dentista, para que fosse descoberta a idade real de cada um deles, antes de encaminharem para uma adoção. #Guerra