O site ABC, da Austrália, divulgou reportagem abordando os últimos momentos da vida de Max Bromson, de 66 anos de idade, que sofria de câncer ósseo em fase terminal. O australiano adquiriu ilegalmente uma droga conhecida como Nembutal, e, ingerindo-a, deu fim à sua própria vida.

O defensor da eutanásia (processo indolor que propicia a morte a um paciente que sofre de uma #Doença incurável) se matou em julho de 2014, e seus momentos finais foram registrados em vídeo por sua irmã, Kerry.  A filmagem só foi liberada agora porque uma investigação policial estava em curso, para determinar se a família de Bromson havia auxiliado no processo que levou ao seu óbito.

Publicidade
Publicidade

Como as imagens provaram que o australiano fez tudo sozinho, seus parentes foram inocentados de quaisquer crimes, e o vídeo pôde ser liberado para o público.

Sofrimento constante

Segundo o ABC, Max Bromson foi diagnosticado com câncer ósseo terminal em 2009, e os médicos lhe informaram naquela época que, além de possuir uma expectativa de vida de apenas seis meses, a dor que ele já sentia só iria piorar.

O australiano passou a apoiar a eutanásia abertamente, e chegou a concorrer a um cargo no Senado de seu país, para que pudesse ter voz ativa e auxiliasse na criação de uma lei que tornasse legal o processo de abreviação voluntária da vida.

No entanto, a condição de Bromson se agravou cada vez mais, e ele passou a temer não conseguir se matar, pois se necessitasse da ajuda de alguém para tirar a própria vida, quem o auxiliasse poderia acabar sendo incriminado.

Publicidade

Conhecendo seu destino, o australiano decidiu que precisava agir rapidamente, e seus planos o levaram à organização sem fins lucrativos conhecida como Exit International, que defende a eutanásia. Secretamente, Bromson obteve a droga Nembutal de forma ilegal, adquirindo-a fora da Austrália.

Então, ainda de acordo com o ABC, em julho de 2014 Max se reuniu em um pequeno quarto de um hotel de beira de estrada com seus dois irmãos, sua filha e seu sobrinho, onde ingeriu uma dose letal de Nembutal. Cerca de três minutos depois, ele já estava inconsciente.

Kerry revelou ao ABC que, em seus momentos finais, Bromson parecia contente, tirando sarro de tudo, e um de últimos comentários foi: “Graças a Deus que eu não tenho que tomar outro banho”, porque até mesmo a água batendo em seu corpo lhe causava uma dor insuportável.

Assista aos momento finais de Max Bromson, em inglês:

#Morte