Um caso acabou chocando a Rússia recentemente. Um cão da raça pitbull foi resgatado na cidade de Salavat. Ele foi salvo por ativistas que defendem os direitos dos bichinhos. De acordo com informações da mídia local, o animal estava sendo mantido como escravo sexual de seu dono. O proprietário do cãozinho fazia muitas "judiarias" com ele. Os estupros e abusos sexuais eram contantes e os gemidos do "melhor amigo do homem" eram ouvidos por todos.

Tanto é que foram os vizinhos que acabam denunciando o criminoso. Antes, eles já tinham ligado para a polícia, que não fez nada. Por isso, os ativistas foram chamados. Um esquema foi armado para que o homem fosse pego em flagrante.

Publicidade
Publicidade

E realmente acabou acontecendo um flagra chocante. Ele estava com o bichinho em pleno parque, quando começou os atos libidinosos, mesmo sendo uma região aberta. Não se sabe se o proprietário do cachorro tem problemas mentais. 

O cão então foi salvo pelos ativistas e passou na mão de veterinários. O animal ganhou o nome de Ramzes. A polícia russa e a justiça já estão em cima do caso, mas estão tendo mais trabalho respondendo às críticas, do que realmente fazendo algo em prol  da vítima, que no caso não era um ser humano. Como tudo estava demorando muito, os ativistas fizeram uma petição na internet para que o animal - nesse caso o ex-dono do cãozinho - seja preso. 

Inicialmente, os agentes policiais simplesmente negligenciaram os pedidos de socorro dos ativistas. Por isso, esses se defendem das acusações de pegarem o cão sem a autorização do dono.

Publicidade

O pet estuprado foi raptado pelo grupo e acabou se safando de coisas muito ruins que aconteciam com ele. Antes disso, os vizinhos tinham notado os abusos e reparado no péssimo estado em que o pitbull se encontrava. 

Por conta da penetração inadequada entre os seres de espécies diferentes, o pet precisou passar por uma longa cirurgia no ânus. Essa demorou mais de três horas. O dono do bicho que fez tudo não será preso. Os promotores do caso acharam melhor ele pagar apenas uma multa de trinta euros.  #Crime #Investigação Criminal