O FBI avisou que voltará a investigar os e-mails de Hillary Clinton, que teria usado uma conta pessoal para tratar de assuntos do Governo. A candidata à presidência dos Estados Unidos disse que é preciso mostrar todas as informações já descobertas para que a população veja que não tem nada de anormal, e isso não venha a prejudicar sua campanha eleitoral. No entanto, o FBI informou que um novo material descoberto poderá mudar o rumo das investigações.

Hillary disse estar confiante de que as "novas descobertas" do FBI em nada irão mudar o resultado da eleição e quer ver revelados todos os fatos para que os americanos vejam que não há nada a ser escondido.

Publicidade
Publicidade

O responsável pela campanha presidencial da candidata está certo de que ela não será condenada no fim das investigações, uma vez que o FBI não encontrará nada além do que já foi mostrado até o presente momento.

O FBI conseguiu esse novo material após ter apreendido alguns dispositivos pertencentes a Huma Abedin, assessora de Hillary. A Casa Branca já emitiu um comunicado afirmando que não sabe de nada a respeito das novas investigações feitas pelo FBI. Eric Schultz, porta-voz da Casa Branca, disse não ter sido enviado nenhum aviso prévio e que não haverá nenhuma alteração nos planos da candidata.

Faltam apenas 11 dias para as eleições nos Estados Unidos e #hillary clinton, que estava tão confiante em sua vitória nas últimas semanas, agora passa a viver um novo e ao mesmo tempo antigo pesadelo.

Publicidade

O caso foi arquivado em julho e ela pensou que nunca mais iria ouvir falar sobre o assunto, mas se vê novamente ameaçada por usar e-mail pessoal para tratar assuntos do Estado.

Com essa nova fase da investigação, feita pelo FBI, quem ganha fôlego é #Donald Trump, que ultimamente viu diminuir as chances de chegar à presidência. A expectativa de todos era a de que Hillary venceria com folga, mas agora essa certeza já não mais existe. Porém, os especialistas estão divididos sobre qual impacto essa nova investigação do FBI terá na eleição, sendo que para alguns não mudará nada, enquanto outros temem que muitos resolvam mudar o voto já na última hora. #Eleições EUA 2016