Neste domingo (09) aconteceu o segundo debate entre os candidatos à presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton e Donald Trump. Repleto de tensão e ataques dos dois lados, o debate também virou assunto por uma situação constrangedora ocorrida após o seu encerramento. Enquanto várias pessoas cumprimentavam o candidato republicano, sua filha, Tiffany Trump, evitou beijá-lo. A cena foi ao ar ao vivo na #Televisão americana. Confira o vídeo que mostra o momento:

Especula-se que a recusa de Tiffany possa estar ligada aos polêmicos comentários do pai sobre as mulheres. Recentemente foi divulgado um vídeo, gravado em 2005, no qual Trump aparece referindo-se de maneira ofensiva e vulgar às mulheres.

Publicidade
Publicidade

Se a atitude de Tiffany Trump foi uma forma de demonstrar sua insatisfação com a conduta do pai, ela não está só. A esposa de Donald Trump, Melania, também desaprovou os comentários do marido, definindo-os como "inaceitáveis e ofensivos". O próprio vice de Trump, Mike Pence, afirmou sentir-se ofendido com as declarações do candidato republicano. Outros membros do partido mostraram-se inconformados, sugerindo inclusive que o empresário se retirasse da corrida presidencial, o que Trump garantiu que não irá acontecer.

A polêmica sobre o vídeo esteve presente no debate deste domingo na Universidade Washington, em Saint Louis, no estado de Missouri. Trump minimizou o assunto, afirmando não se orgulhar de suas palavras, mas justificando que se tratava de uma conversa privada, e garantindo que tem muito respeito pelas mulheres.

Publicidade

Aos ataques de Hillary, ele rebateu acusando o marido da candidata, o ex-presidente Bill Clinton, de praticar assédio sexual.  

A candidata democrata lembrou que, além das mulheres, Trump teria atacado também latinos, muçulmanos, imigrantes, pessoas com deficiência e afro-americanos, entre outros. De acordo com pesquisa realizada pelo canal CNN, 57% dos consultados consideraram que Hillary venceu o debate contra Trump. A eleição presidencial americana será realizada em 8 de novembro. #Eleições EUA 2016 #Política