Quatro anos depois do terremoto que arrasou o #Haiti, mais uma vez esta população sofre com um fenômeno da natureza. O furacão Matthew, que cruzou o Caribe, arrasou, mais uma vez, o pequeno país, que é o mais pobre das Américas e está localizado na mesma ilha da República Dominicana.

Autoridades afirmam que o número de mortos até agora é de 842 pessoas, mas devido à precariedade de condições em que o país se encontra, acredita-se que, infelizmente, o número possa ser maior, pois muitos locais estão sem acesso. São vários bairros alagados e casas destruídas pelo vento que chegou a 230 quilômetros por hora, carregando árvores e pontes.

Publicidade
Publicidade

Desde a terça-feira (4), dia em que o furacão chegou à ilha, militares brasileiros estão auxiliando a população. A Cruz Vermelha fez um apelo de emergência, pedindo ajuda humanitária. Não há remédios e os hospitais estão superlotados. Mesmo para milhares de pessoas que conseguiram se refugiar em abrigos, falta água e comida. Estima-se que mais de um milhão de pessoas foram afetadas.

Já na vizinha Flórida, as condições são outras, embora não menos assustadoras, já que o país é bem mais preparado para enfrentar este tipo de situação. O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos emitiu alertas, pedindo que a população se preparasse. Neste caso, a falta de estoques de água, gasolina e alimentos, se deve à corrida das pessoas aos supermercados e outros estabelecimentos. Inicialmente anunciado como um #furacão da categoria 4 (a escala vai de 1 a 5), Matthew perdeu força e chegou à Flórida classificado como categoria 3.

Publicidade

Também não chegou a entrar no continente o tanto que era esperado.

Mesmo assim, o furacão já fez uma vítima. Uma moradora de uma cidade ao norte de Miami sofreu parada cardíaca e não pode ser socorrida, nem levada para o hospital.

Imagens impressionantes de um avião no olho do furacão Matthew foram divulgadas na internet. O avião com piloto e co-piloto à bordo, pertence à National Oceanic and Atmospheric Administration Hurricane Hunters, que, como o nome diz, tem a missão de caçar furacões e se aproximar o máximo possível para estudar o fenômeno e aprimorar previsões.

Como prevenção, três milhões de pessoas foram alertados para deixarem suas casas e mais de um milhão de residências estão sem energia elétrica.

Matthew é o maior furacão a atingir os Estados Unidos nos últimos dez anos. #EUA