Na madrugada do último domingo (23), um homem, identificado como Glenn Livingston, de 26 anos, bateu com seu veículo em um helicóptero na estrada de Gallup, no Novo México, Estados Unidos. O homem, que estava extremamente embriagado e em alta velocidade,  invadiu uma área de isolamento feita pelo corpo de bombeiros na auto-estrada 566, perto da região de Gallup.

Os agentes realizavam um atendimento de urgência em outra estrada de alta velocidade, a 1149 de Navajo, devido a um acidente anterior. Para prestar os primeiros socorros, um helicóptero foi chamado a fim transportar os pacientes graves e estava estacionado no meio da estrada.

Publicidade
Publicidade

Para que não acontecessem novos acidentes, o corpo de bombeiros fechou a área quilômetros antes, mas o homem desrespeitou a sinalização e invadiu o local.

Além de atingir a equipe dos bombeiros que estava com um caminhão, ele colidiu fortemente com o helicóptero que, felizmente, não tinha ninguém dentro, pois os socorristas estavam na estrada prestando atendimento. Além de ter podido matar as pessoas presentes no local, o homem poderia ter morrido, caso um incêndio acontecesse devido ao combustível dos veículos. Segundo os policiais que atenderam a ocorrência, a hélice do helicóptero não estava ligada no momento do acidente, o que evitou maiores danos.

A vítima que estava sendo socorrida devido ao acidente anterior conseguiu ser levada ao hospital e não corre mais risco de vida. Por sorte, mais ninguém ficou ferido devido à ação impensada de Livingston, que se encontrava bastante alcoolizado e parecia não saber o que estava fazendo.

Publicidade

Os agentes que estavam presentes no local tiveram dificuldades em contê-lo, e disseram que ele só parou o veículo que dirigia quando bateu na aeronave.

Segundo os policiais, foi constatado que Livingston estava realmente embriagado, ele foi levado para a delegacia para ser ouvido e será indiciado por dirigir embriagado, fugir do acidente provocado por ele, e obstruir a ação dos oficiais, dentre outras acusações. Ele deverá ficar detido e responderá na Justiça. #Crime #Investigação Criminal