Um homem foi preso após levar sua ‘esposa’ no terceiro mês de gestação a um hospital. A grávida tem 12 anos e o companheiro 40. Para tentar evitar ser acusado de pedofilia, ele mentiu sobre a idade da paciente, dizendo aos funcionários do hospital que ela tinha oito anos a mais.

O caso aconteceu na #China e foi noticiado pela imprensa oriental e ocidental. Ao preencher a ficha médica da gestante, os funcionários do centro médico de Xuzhou notaram algo estranho e desconfiaram. Um dos atendentes percebeu a feição muito infantil da paciente e afirmou que a menina não poderia ter 20 anos de idade, pois tinha um rosto de criança.

Publicidade
Publicidade

O marido rebateu dizendo que tinha trazido a “esposa” para passar por exames diagnósticos comuns em pré-natais e pediu para que o funcionário apenas fizesse o seu trabalho. Houve uma discussão entre ambos e um dos médicos que testemunhou a briga resolveu chamar a polícia. Antes, porém, os profissionais tentaram questionar a criança sobre qual seria o vínculo entre ela e o homem, mas não conseguiram entender o seu idioma.

Como no Brasil, na China as leis do país coíbem o casamento com menores. Por isso, ao constatarem a irregularidade, as autoridades agiram e o “marido”, 28 anos mais velho, acabou sendo preso.

Como a criança não falava mandarim, que é o idioma oficial da China, os policiais suspeitaram que ela tenha sido comprada pelo marido diretamente de traficantes de mulheres que atuam em países do Sudeste Asiático, especialmente no Vietnã.

Publicidade

O homem tinha ido ao hospital com a criança grávida e também com outra mulher, que se dizia mãe dele, ou seja, sogra da gestante. No centro médico, eles disseram que achavam que a menina estava no terceiro mês de gestação. Eles queriam que os médicos avaliassem se estava tudo bem com o feto.

Foi constato pelas equipes que a gravidez era real e observado que a menina tinha muitas estrias na barriga, o que demonstra que seu corpo ainda não estava preparado para a maternidade.

Não foi divulgado o destino da criança depois de o homem ter sido preso. #Crime