Godfrey Baguma, 47 anos, é o mais recente astro de Uganda – na África. Contudo, sua fama não tem relação com a carreira musical - profissão que exerce a dois anos. Na verdade, a razão por trás do aparente sucesso decorre da bizarra aparência do sujeito.

Uma cabeça desproporcional e totalmente assimétrica é o motivo dele ter se tornado famoso em todo o país, depois de vencer o concurso da ‘pessoa mais incomum (feia) de Uganda’, segundo informações do jornal europeu Daily Mirror, de quarta-feira (26). Agora, Godfrey quer aproveitar a meteórica fama para divulgar suas músicas.

No entanto, o icônico cantor, que diz nunca ter sido diagnosticado, revela temor em passar a doença para os oito filhos, em especial para uma filha recém-nascida, que ele observa ter o formato da cabeça semelhante a dele.

Publicidade
Publicidade

“Eu acredito que ela pode se parecer comigo”, fala.

Devido a piora da saúde de Baguma, pela primeira vez ele foi avaliado por um médico, doutor Tony Wilson - chefe de medicina do Hospital da cidade de Mbarara.

No exame preliminar, o médico constatou o fato da estrutura óssea interferir na massa encefálica do ‘pop star’. "Ele tem anormalidade muito difundida em sua cabeça, pressionando em várias partes do seu cérebro”, declara.

Além disso, o cantor mais famoso de Uganda também sofre de problemas respiratórios. "Sua postura está comprimindo seu peito, é por isso que ele não está respirando bem", avalia Wilson.

Todavia, o exame mais aguardado por Godfrey Baguma, veio seis semanas depois da ressonância magnética. Finalmente, o músico soube que sofre de uma doença rara chamada Fibrodisplasia - responsável por afetar o crescimento e por interferir no funcionamento das células e dos tecidos.

Publicidade

O temor de que ele pudesse transferir a doença aos filhos também foi sanado. Para felicidade do ugandense, a enfermidade não é hereditária. Portanto, a prole não é afetada pela mesma mazela do pai.

O médico esclarece que ao fazer uso da medicação correta, a saúde de Godfrey poderá ser equilibrada.

Negligenciado pela mãe

Devido ao incomum aspecto do africano, ele revela ter sido rejeitado pela mãe, que não suportou a diferença física do filho. "Quando eu nasci, minha mãe olhou para mim e disse que eu não era uma criança normal, e ela me deixou. Felizmente, minha avó cuidou de mim”, recorda.

Godfrey ainda lembra o fato de durante muito tempo ter sido menosprezado pelas pessoas, que o achavam monstruoso. "Eu estava com medo de sair e me misturar com as pessoas. Elas diziam que eu não era um ser humano, que eu parecia uma criatura estranha”, confessa.

Atualmente, os shows do ugandense costumam estar lotados de ‘fãs’ (ou curiosos).

Abaixo, veja um documentário (em inglês) sobre a vida do africano.

#Curiosidades #Viral #Internet