Um vídeo mostra o momento em que um homem tenta abusar de uma mulher em um metrô na China. As imagens que estão circulando na internet flagraram o chinês que tenta passar despercebido ao acariciar a mulher. Ele aparece nas cenas passando a mão esquerda discretamente nas pernas da moça, enquanto a mesma estava sentada em um dos vagões do veículo público. O que ele não poderia esperar é a reação da moça, que inicialmente tenta se afastar para que o braço do homem não a alcance. Contudo, o abusador continua insistindo em molestá-la, o que desencadeia uma reação furiosa da mesma. Ela, imediatamente após perceber estar sendo abusada, se levanta e parte para cima do agressor.

Publicidade
Publicidade

Ele ainda tenta fingir que nada estava acontecendo e continua a olhar para a tela do celular, como se não tivesse feito nada. Já a mulher consternada, lança sobre ele sua bolsa que acaba acertando o rosto do homem. As imagens foram gravadas por um dos passageiros presentes, que, no entanto, não parece ter intervindo diante da situação.  Assim como as outras pessoas que estavam no metrô que não correm em ajuda à moça.

Essas situações de abuso em transporte público são muito comuns em todos os lugares do mundo. Aqui no Brasil não é diferente e na superlotação de ônibus, trens e metrôs muitas ‘mãos bobas’ aparecem. Em meio à lotação dos veículos de transporte, assédios são bastante incômodos para as mulheres que têm que enfrentar sussurros indecentes, encoxadas e toda sorte de abusos que na maioria das vezes nem chegam a ser denunciados.

Publicidade

Uma pesquisa feita pelo DataFolha no ano passado mostrou que uma em cada três mulheres tinham sofrido algum tipo de assédio em São Paulo naquele ano. No levantamento de dados, é no transporte público que as mulheres mais sofrem abusos na cidade de São Paulo: 35% disseram ter sofrido algum tipo de assédio dentro dos veículos, sendo que 22% tinham sofrido abuso físico, 8% assédio verbal, e 4% os dois tipos de violência. Essa é uma realidade grave e que precisa ser denunciada para que as mulheres possam ter tranquilidade para se movimentarem pelas cidades, e menos cenas como essas da China circulem na internet.

#Crime #Investigação Criminal