Um juiz americano surpreendeu, aplicando um pena que muitos estão considerando como demasiada leve. Ao pai que estuprou a filha de doze anos, o juíz deu uma sentença de 60 dias de cadeia. Mas, pior ainda do que essa condenação, foi a maneira como ele se justificou, alegando que esse homem precisava "passar mais tempo com os filhos". Isso depois de ele ter violado a própria filha. 

Todos os casos de #Estupro causam revolta entre as pessoas. Quando esse crime é cometido contra os próprios filhos, a indignação aumenta mais ainda. Mas, neste caso, nos Estados Unidos da América, nem é o estuprador que está merecendo maior contestação.

Publicidade
Publicidade

Para as pessoas, o pior de tudo foi mesmo a sentença que o juiz deu para um #Pai, depois de considerado culpado pelo estupro da filha, uma menina de 12 anos. 60 dias de cadeia é uma pena demasiada branda, para um crime tão cruel e tão grave como esse. 

A justificação do juiz, John Mckeon, também não caiu bem, depois dele defender que esse homem, assim, poderia passar mais tempo com os filhos. E, que se ficasse por muito tempo, na cadeia, não poderia acompanhar o crescimento dos filhos. Uma justificação chocante, depois de o homem ter abusado sexualmente de um dos filhos. 

A acusação estava pedindo uma pena de 25 anos de cadeia, de acordo com a CNN, uma sentença que até a mãe da vítima pensava ser "demasiado severa". Aliás, essa mãe referiu, no Tribunal, que os filhos, especialmente os rapazes, ficariam "devastados", se o pai não estivesse por perto, defendendo a liberdade do marido, apesar de ter violado a sua filha.

Publicidade

O juiz declarou essa sentença de apenas 60 dias, porque acreditou ser mais importante para esse homem ser "reabilitado" do que "ficar detido". 

A decisão não é de todo popular e, na Internet, já existe uma petição para que esse juiz seja afastado e para que o julgamento seja repetido. A petição foi criada para falar em "nome da criança de 12 anos de idade", uma vez que nem os pais, nem o Tribunal parecem ter pensado, em algum momento, na própria vítima, e a preocupação parece ter recaído mais no agressor do que na vítima. 

Essa petição já conta com mais de 60 mil assinantes, e declara que já é hora de "punir os juízes que deixam esses monstros em liberdade".  #Justiça