Karen Lee está angustiada com uma nova fase em sua vida. Esta mãe de 37 anos pensava que seu pesadelo estava terminado, quando o seu companheiro foi condenado a uma pena de prisão de 22 anos. Depois de cinco anos de uma verdadeira tortura com esse homem, ela se sentia finalmente livre. Até que agora, o ex-marido, Russel Melfford, de 50 anos, descrito em Tribunal como um "monstro", está contatando com o exterior e exigindo ver a sua filha, que nasceu fruto das violações que esse homem foi cometendo com Karen.

Essa mulher viveu um pesadelo durante os cinco anos que esteve com Russel, onde foi abusada e maltratada várias vezes.

Publicidade
Publicidade

A mulher teria sofrido mais de cinquenta estupros, e acabou mesmo sendo hospitalizada por mais do que uma vez. No entanto, sempre que ela ameaçava deixá-lo, ele acabava em lágrimas, chorando e implorando para que ela não o abandonasse. E ela foi ficando. 

Melfford era tão pervertido que chegou e permitir que um amigo, também violador e que também está agora na cadeia, abusasse dela. Semanas depois, Karen descobriu que estava grávida e ficaram mesmo na dúvida se a filha seria dele ou do amigo, uma vez que a mulher tinha sido abusada sexualmente pelos dois homens. Apesar das dúvidas, Russel disse desde o início qu iria tomar conta dela como se fosse sua filha, não importando mais nada.

nessa época, Karen acreditava que ele pudesse mudar. Puro engano. Ele continuou com os abusos e só quando esta mãe começou temendo pela segurança da bebê, é que ela acabou denunciando ele.

Publicidade

Primeiro, a polícia não encontrou provas suficientes para a detenção mas, mais tarde, a investigação encontrou duas outras mulheres estupradas por ele, e o homem foi mesmo condenado, no último mês de dezembro, a uma sentença de 22 anos de cadeia, por vários estupros e abusos sexuais. 

Karen pensava que seu pesadelo terminava aí, mas desde fevereiro que está recebendo cartas de Russel. O ex-marido continua aterrorizando sua vida, especialmente porque pretende ser visitado pela filha, para que não percam o contacto. "Me sinto violada novamente", contou Karen para o jornal Mirror, por causa dessas cartas que continua recebendo, de dentro da cadeia. E, mais do que nunca, está temendo pela segurança de sua filha.  #Estupro #Família #Justiça