O nome dele é Yassine Ghazi, um #Médico cirurgião que criou uma baita polêmica ao fotografar pacientes durante procedimentos cirúrgicos e publicar as imagens na internet. Nas #fotos, as pessoas estavam desacordadas, deitadas em macas.

Segundo as informações publicadas pelo jornal Metro, as fotos foram registradas sem o consentimento dos pacientes em uma clínica da Eslováquia, que fica na cidade de Bratislava. Depois disso, o médico se complicou feio com a justiça, por ter registrado fotos íntimas de pessoas sem autorização e, pior que isso, por tê-las divulgado em redes sociais.

Em uma das fotos mais polêmicas, o cirurgião plástico posa apertando o seio de uma mulher e fazendo o sinal de ok com a outra mão.

Publicidade
Publicidade

O que fez os internautas ficarem indignados com o profissional e o denunciarem.

Em outra imagem, ele aparece operando outra paciente que aparece nua da cintura para cima, com os seios de fora com a seguinte legenda: “Lugar onde os sonhos se tornam realidade.”.

Depois das inúmeras denúncias, a clínica onde Ghazi trabalhava foi fechada. O médico está sob investigação, pois a equipe médica dele não tinha licença para realizar cirurgias plásticas no país.

Mesmo depois de tanta polêmica, ainda pode-se ver fotos estranhas no Instagram de Ghazi, onde ele possui mais de 1.600 seguidores. São elas cheias de sangues, cortes, partes íntimas de pacientes e muito mais. Tudo sem nenhuma edição.

Sobre a vida pessoal, o médico pouco divulga em suas redes sociais, mas depois que o caso polêmico foi ao público, a imprensa local não o deixou mais em paz e o cirurgião foi muito criticado – em especial pela #Internet, onde até mesmo o profissionalismo dele foi posto em dúvida.

Publicidade

Mas mesmo assim, ele ainda nem se manifestou sobre o ocorrido.

Assim como ele, existem outros médicos um tanto loucos espalhados aí pelo mundo, entre eles, até mesmo fugitivos da polícia, como é o caso do Dr. Miami, um dos mais procurados da Flórida, EUA. Ele, assim como Ghazi, também gostava de publicar seus pacientes sem a autorização deles, só que de um modo diferente, pois o americano costumava passar tudo pelo Snapchat. Macabro não?