Segundo informações divulgadas pelo site britânico Mirror, um homem de 40 anos foi preso após levar sua "esposa" grávida, de apenas 12 anos, até o #Hospital Central da cidade de Xuzhou, localizado na província de Jiangsu, leste da China. O detido teria chegado ao estabelecimento médico acompanhado de uma mulher que afirmava ser a "sogra" da jovem. No local, tanto o homem quanto a mulher alegaram que a jovem garota, que supostamente teria 20 anos, estava necessitando fazer um teste de rotina, pois estava grávida de três meses e precisava confirmar o estado de saúde do feto.

De acordo com o Mirror, os médicos imediatamente suspeitaram da situação e acionaram as autoridades locais, pois a garota claramente aparentava ter uma idade muito menor do que a alegada.

Publicidade
Publicidade

E para complicar ainda mais a situação, os profissionais de saúde que atenderam a menina não conseguiram obter nenhuma resposta quando a interrogaram, uma vez que ela não falava mandarim, que é o idioma local.

Compra de noivas

O Mirror relatou que as suspeitas dos médicos se tornaram ainda maiores quando eles começaram a questionar o suposto marido, que teria se irritado dizendo: "Eu a trouxe aqui para ser examinada – apenas façam vosso trabalho. Parem de fazer tantas perguntas".

 As autoridades locais não puderam identificar a origem exata da menina, pois ela não portava qualquer tipo de documento. No entanto, os investigadores suspeitam que a garota seja originária do leste da Ásia e que teria sido sequestrada ou comprada como uma "noiva estrangeira".

Os chineses têm um histórico conhecido de compra de noivas vietnamitas em toda a fronteira sul do país.

Publicidade

Em uma reportagem publicada em abril deste ano, a rede de notícias CNN, dos Estados Unidos, relatou em seu site que muitas meninas do Vietnã, tão novas quanto a garota do recente caso divulgado, acabam sendo enganadas e drogadas por traficantes de seres humanos, sendo levadas para a #China através de barcos, carros ou até mesmo motos.

De acordo com a CNN, as vietnamitas são uma "mercadoria" valiosa em território chinês, e as meninas que são levadas para o país, e que não são forçadas a casar, acabam tendo que trabalhar, muitas vezes, como prostitutas. #Crime