Na Suécia, mais um crime de estupro coletivo por refugiados. Uma mulher, que estava em cadeira de rodas, foi abusada sexualmente por seis homens, identificados como sendo migrantes em um asilo, em Visby. Os homens foram detidos, mas já foram todos liberados pela justiça sueca, se desconhecendo se a investigação a esse caso continua ou se foi encerrada. O caso acabaria, no entanto, por gerar uma onda de violência contra aquele centro onde os homens estavam locados.

Uma das maiores polêmicas com a chegada de vários #Refugiados na Europa tem sido os casos de estupros. São várias as violações denunciadas e, dessa vez, aconteceu na Suécia.

Publicidade
Publicidade

Uma mulher, que teria por volta dos 30 anos e cuja identidade está sendo protegida legalmente, estaria passeando com um colega, de carro, por essa ilha quando pediu para pararem, que ela precisava ir ao banheiro. 

A mulher, que precisava de uma cadeira de rodas para se movimentar, foi precisamente perguntar no asilo se podia usar o banheiro. Foi autorizada, mas seria amargamente surpreendida por um grupo de seis homens que a estupraram. Alegadamente, os homens estariam vivendo nesse centro de refugiados, onde fizeram esse ataque brutal. 

Depois do #Estupro, a mulher conseguiu sair do edifício e fazer a denúncia, levando a detenção de seis homens, que teriam por volta dos vinte anos. De acordo com a polícia sueca, a ilha é calma e bastante segura, quando comparada com outros lugares, onde esse tipo de criminalidade é mais comum.

Publicidade

No entanto, após a denúncia desse caso, a ilha teve que receber mais reforços policiais para conseguirem controlar alguns motins de pessoas que estavam se insurgindo contra os migrantes. O local onde os migrantes estão alocados foi apedrejado, obrigando a intervenção policial para acalmar os ânimos mais exaltados da população local, indignada com esse caso. 

De acordo com a imprensa sueca, os homens foram detidos, mas já se encontrariam novamente em liberdade, se desconhecendo se iriam sofrer alguma responsabilidade por esse ataque brutal contra uma mulher em cadeira de rodas.