De acordo com informações disponibilizadas pelo site Mirror, do Reino Unido, a americana Deborah Giannecchini, que reside na cidade de Modesto, na Califórnia, recebeu uma indenização de 70 milhões de dólares após alegar que o talco produzido pela gigante multinacional Johnson & Johnson lhe causou câncer de ovário.

O valor foi estipulado por um tribunal após cerca de três horas de deliberação em St Louis, no Estado de Missouri.  O advogado da mulher, Jim Onder, afirmou durante o julgamento que Giannecchini teve, além de seus ovários, seu cólon e seu baço removidos, e acusou a Johnson & Johnson de estar plenamente ciente dos riscos que seu produto pode acarretar, e mesmo assim não avisar os usuários.

Publicidade
Publicidade

Deborah Giannecchini atualmente possui 62 anos de idade, e usou o talco em sua região íntima por cerca de quatro décadas. Ela foi diagnosticada com câncer de ovário em 2012, e após ter se submetido à cirurgia, quimioterapia e radioterapia, sua expectativa de vida para os próximos dois anos é de apenas 20%.

Casos semelhantes

A Johnson & Johnson anunciou, conforme relatou o Mirror, que vai recorrer da sentença, e insistiu que seus produtos à base de talco são totalmente seguros, alegando ainda que não existem evidências científicas de que a substância possa causar algum tipo de problema de saúde.

No entanto, o processo em favor de Deborah Giannecchini já é o terceiro caso judicial que a Johnson & Johnson perde nos Estados Unidos somente em 2016, em relação a ações movidas envolvendo o uso de produtos contendo talco.

Publicidade

Os casos restantes referem-se, respectivamente, à família de uma mulher do Arkansas que morreu por causa de câncer de ovário e recebeu US$ 72 milhões, e a uma vítima da Dakota do Sul que teve a mesma #Doença, mas sobreviveu, recebendo US$ 55 milhões.

Ainda segundo o Mirror, os três casos foram ganhos por Jim Onder, que disse à rede de notícias americana CBS, nesta quinta-feira, 27, que as famílias das vítimas não moveram as ações por causa do dinheiro, e sim para salvar outras vidas, e forçar a Johnson & Johnson a informar que o uso contínuo de talco pode trazer riscos à saúde. #EUA