A polícia americana, mais uma vez, divulgou na internet, imagens de uma pessoa que ficou desmaiada após o consumo exagerado de #drogas. As fotos foram publicadas com o intuito de precaver a população da progressiva #epidemia do uso de drogas, especialmente, da classe do opioides, incluindo analgésicos, nos #Estados Unidos.

Agora, uma mãe foi encontrada desacordada dentro de um carro, e no banco traseiro estava o seu filho de apenas 10 meses, chorando. A americana, Erika Kurt, de 25 anos, foi achada no último sábado (22) pela polícia, contendo uma seringa em suas mãos. Segundo a mãe da mulher, ela havia saído da reabilitação recentemente.

Publicidade
Publicidade

Durante uma entrevista ao site The Telegraph, o policial Mathew Tallent disse que os pais começaram a utilizar drogas dentro de automóveis, acompanhados de seus filhos, com o objetivo de manter-se afastados das pessoas que iriam desaprovar o consumo das substâncias. E que isso estava se transformando em uma nova regra para os usuários.

No mês de setembro, uma imagem semelhante também teve um enorme impacto no mundo todo. Um menino foi encontrado preso ao cinto de segurança no banco traseiro de um veículo, onde estava também o casal, Rhonda Pasek, de 50, e James Acord, de 47 anos, completamente inconscientes, após terem consumido excessivamente heroína, uma droga opioide semissintética. Depois do ocorrido a mulher foi identificada como a avó do garoto, e James era o namorado de Rhonda. A avó havia conseguido a guarda do menino há apenas seis semanas, este caso ocorreu no Estado americano de Ohio e gerou uma grande repercussão, principalmente, nos Estados Unidos.

Publicidade

Os dois foram presos pela polícia na cidade East Liverpool e detidos sob a acusação de ter submetido um menor a uma situação de risco. A identidade do garoto não foi divulgada, nem o que realmente aconteceu com a sua mãe. Felizmente, a criança já ganhou um novo lar, um tio-avô e uma tia-avô, residentes na Carolina do Sul, entraram na Justiça pedindo a guarda, pedido este, aceito pelo juiz.