Embora grande parte da população mundial acredite que a preconceituosa e mortal ideologia nazista tenha morrido com o suposto suicídio de Adolf Hitler (1889-1945), cada vez mais surgem casos de indivíduos adeptos do falido regime do Terceiro Reich.

Apesar do governo se orgulhar em dizer que praticamente não existem mais nazistas no país, desde o surgimento da imigração em massa para a Alemanha, tem havido uma espécie de ‘ressuscitação’ daquele tipo de pensamento por parte da população.

Dessa vez, a imprensa não conseguiu abafar o caso de um imigrante da Somália, de 17 anos, que estava deprimido e ameaçando pular da janela do quinto andar da casa de refugiados onde morava, na cidade de Schmoelln, na sexta-feira (21).

Publicidade
Publicidade

Na ocasião, vizinhos nazistas (a imprensa chama de neo-nazistas, que significa novos nazistas) tornaram a situação irreversível, ao incitarem o imigrante a se matar devido ao fato dele ser africano, conforme informações do periódico britânico Daily Mail, edição de domingo (23).

Segundo a polícia local, enquanto o jovem estava empoleirado na janela ameaçando saltar para a morte, nazistas da extrema direita zombavam do rapaz e diziam para ele “acabar com tudo agora”, numa clara demonstração de repulsa aos imigrantes africanos. E ele acabou se matando.

De acordo com o jornalista responsável por cobrir o episódio, Alan Hall (Daily Mail), quando os policiais chegaram para atender a ocorrência, no período da tarde de sexta-feira, o somali estava na borda da janela, deprimido e chorando copiosamente, devido ao preconceito vivido na Alemanha.

Publicidade

Antes do rapaz atender aos desejos dos nazistas, a polícia conta que durante uma hora tentou persuadir o imigrante a voltar para o interior da casa de refugiados.

Contudo, numa demonstração vil e insana de intolerância a imigrantes de determinadas nações, diversos nazistas - moradores próximos do local -, que acompanhavam o evento, encorajaram o jovem a pular. “Menos um parasita! Vá em frente, pule!”, gritavam os alemães enquanto o menino tremia de medo, relata Alan Hall.

Desde março na Alemanha

O jovem, cujo o nome não foi revelado pela imprensa, estava a sete meses na Alemanha, depois de fugir da Somália para o Sudão e conseguir atravessar o mar mediterrâneo por meio daqueles botes infláveis onde centenas de pessoas passam semanas amontoadas umas sobre as outras.

Apesar de vários nazistas incentivarem e, inclusive, filmarem o suicídio do rapaz, diversas outras pessoas da cidade se disseram consternadas com a bizarra situação. Uma dela é o prefeito do município, Sven Schrade. "Antes dele ser um refugiado ou da Somália, ele era um ser humano", fala Schrade.

O promotor de Schmoelln abriu inquérito para investigar os nazistas responsáveis por incentivar e filmar o suicídio do rapaz. Porém, até o momento ninguém foi preso.

Ao que tudo indica, a latente ideologia nazista, adormecida desde a Segunda Guerra Mundial, parece ter saído da hibernação e ganhado cada vez mais adeptos. #Mídia #Curiosidades #Internet