O perigo vem do espaço sideral! Bem que esta poderia ser a manchete de um jornal sensacionalista em alguma parte do mundo, ou mesmo o título de um filme ou seriado televisivo que fala sobre a invasão de seres alienígenas e até de uma chuva de meteoros que ameaça a vida na Terra. Por outro lado, longe de todas essas hipóteses, a ideia acima é de fato um aviso com caráter de ordem emitido pelo poder presidencial dos #EUA, tanto que informações adicionais foram publicadas no último dia 14 de outubro no site oficial da Casa Branca. O conteúdo explicativo da matéria governamental visava deixar bem claro para todos de que forma os representantes e autoridades dos Estados Unidos devem conduzir as ações conjuntas para enfrentar o que foi denominado de "eventos climáticos espaciais"

Pelo que tudo indica, conforme os EUA, fenômenos como erupções solares, entre outros, irão acontecer de modo cada vez mais constante, provocando “efeitos significativos sobre os sistemas críticos de infraestrutura e tecnologias". 

O aviso de cuidado e do que fazer da Casa Branca é sobre algumas das conseqüências desastrosas que tudo isso pode ocasionar no planeta e na vida das pessoas, tais como: desativação de grande alcance da rede de energia elétrica - provocando uma sucessão de falhas nos serviços considerados de segurança mundial ou essenciais -, fornecimento de água potável, serviços básicos de saúde e transportes em geral por todo o globo.

Publicidade
Publicidade

O governo federal dos Estados Unidos disse querer assumir o papel de poder fazer a previsão a tempo dos acontecimentos “anormais” e reagir aos mesmos com rapidez e com planos de ações eficazes. 

Para tanto foram ordenadas especificamente incumbências para departamentos e agências daquele país como, por exemplo, que haja um prazo de 120 dias para que a totalidade dos reatores de energia nuclear apresente os ditos protocolos de desligamentos emergenciais. 

Já o conhecido Pentágono tem que garantir a produção de informações estratégicas no âmbito do espaço e do #Clima terrestre, para que assim o governo não seja pego desprevenido na tomada de ações rápidas e críticas no que tange a variáveis intangíveis a princípio, que possam afetar a rede sistemática de armas, presença militar e a própria defesa dos Estados Unidos

O trabalho ainda não para por aí, uma vez que Departamento do Interior passa a ter obrigação crucial de analisar “as variações do campo magnético da Terra associadas às interações entre o Sol e a Terra" e, por sua vez, o Departamento de Energia terá que salvaguardar e restabelecer, em tempo oportuno, todo o sistema de transmissão de energia elétrica perante uma situação de desastre sem precedentes.

Publicidade

Independentemente de alguns observadores considerarem, no mínimo, estranhas tais ações norte-americanas, justamente em um momento que as relações entre os EUA e a Rússia não vão nada bem, é fato que todo esse contexto assume ares apocalípticos e preocupantes.