Após ter o acordo de paz acertado com as Forças Armadas Revolucionárias da #Colômbia (#FARC) recusado pela população no plebiscito do dia 2 de outubro, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, comentou sobre o novo documento que está sendo elaborado para o pacto.

Segundo Santos, a expectativa é que até dezembro o texto esteja pronto e, dessa vez, poderá ter sua aprovação sem que haja a realização de uma nova consulta à população via plebiscito. De acordo com o político, sendo presidente ele tem toda a capacidade, dentro do que preveem a Constituição e a lei colombianas, para decidir como será feita a implantação do acordo.

Publicidade
Publicidade

A medida demonstra uma mudança na perspectiva do presidente, que foi veemente ao defender o plebiscito, indo contra aliados e negociadores, que reconheciam o risco da ideia.

Juan Manuel Santos e sua equipe têm buscado abarcar no novo documento pontos capazes de agradar a oposição, que fez campanha contrária ao acordo, principalmente a ala liderada pelo ex-presidente Álvaro Uribe, do Centro Democrático. A legenda de Uribe chegou a apresentar um texto com suas demandas para apoiar um acerto com a guerrilha. Para chegar a um denominador comum, o governo e as Farc têm se reunido em Havana, Cuba, para negociar os pontos que precisariam ser ajustados.