Normalmente, as pessoas, quando observam qualquer coisa diferente no corpo de uma criança, procuram imediatamente ajuda médica, mas na Índia um caso surpreendeu aos funcionários de um hospital, o médico só foi consultado 18 anos depois. O médico Pramod Giri foi procurado por um jovem que apresentava uma calda de 20 centímetros de comprimento no próprio corpo.

O caso aconteceu na cidade de Nagpur no fim de setembro. A equipe do hospital se surpreendeu quando foi procurada pelo rapaz, que sentia dores fortíssimas nas costas. Já não conseguindo tolerar tanta dor, o indiano foi até a instituição onde apresentou a cauda ao doutor.

Publicidade
Publicidade

O médico ficou estarrecido ao constatar a demora da família em procurar atendimento para resolver o problema.

Geralmente, estes problemas são resolvidos ainda na infância. No caso do rapaz, os pais o ajudaram a esconder a deformidade de todos, o fazendo pensar que a parte extra de seu corpo poderia lhe trazer boas energias. Eles consideravam que a cauda fosse um "amuleto da sorte" e o mantiveram longe dos hospitais por toda a vida. Não há nenhum registro que comprove, mas é possível que o jovem tenha sido a pessoa que viveu com uma parte extra presa ao corpo por mais tempo no #Mundo.

Para o doutor Giri, que é chefe de neurologia do hospital, o rapaz sofria um trauma psicológico intenso porque a cauda não parava de crescer e para escondê-la era preciso deixa-la ajustada constantemente em suas calças.

Publicidade

A anormalidade de neurodesenvolvimento como é conhecida a anomalia verificada no moço pode ser corrigida na infância, mas nesta situação específica, a crença dos pais o obrigaram a conviver com o "rabo" por tanto tempo.

O procedimento para a retirada da cauda é considerado relativamente simples pelo médico. No entanto, precisou ser feito por especialistas devido ao fato de o membro estar diretamente envolvido com a medula espinhal, mas deu tudo certo. O jovem já está recuperando a #Saúde e deverá, de acordo com o doutor Pramod, ter também a autoestima elevada. #Medicina