Nesta sexta-feira (30), a Polícia da Califórnia divulgou, durante uma coletiva de imprensa, uma filmagem do momento em que os polícias atiram e matam Uganda Alfred Olango, homem negro e refugiado, de 38 anos. As filmagens foram realizadas por uma câmera amadora de um celular de um cidadão que passava pelo local, e uma outra gravação foi feita pela câmera de um restaurante próximo.

Esse fato ocorreu na terça-feira (27), perto de um restaurante que vende comida mexicana. De acordo com a família da vítima, Olango estava passando por uma crise nervosa, e por isso a polícia foi acionada para ajudá-lo. 

Os polícias afirmam em relatório oficial que ao ser abordado, o refugiado teria demorado para tirar as mãos do bolso.

Publicidade
Publicidade

Afirmam ainda que quando ele obedeceu a ordem, ele retirou um objeto e apontou na direção dos oficiais. Nesse instante, o policial identificado como Josh McDaniel atirou com uma arma não letal de choque elétrico (taser). Contudo, ao mesmo tempo, o policial Richard Gonzalvez, seu parceiro, disparou com munição real, atirando quatro vezes em direção ao refugiado, que veio a óbito no local.

Somente após isso eles perceberam que o que tinha na mão do refugiado não era nada que representava uma ameaça física. De acordo com o chefe de Polícia, o objeto que a vítima carregava era apenas uma caixa de cigarros eletrônicos.

As autoridades tinham mostrado, anteriormente a esses vídeos, uma foto do momento em que o homem apontava um objeto na direção dos policiais, dando a entender que representava uma ameaça, mas após protestos, as imagens revelaram a verdade dos fatos.

Publicidade

 

O advogado da família alega que no momento em que os agentes foram chamados, Olango estava sofrendo uma crise, pelo motivo da recente perda de um amigo que tinha acabado de ser morto.

Manifestações

O caso gerou muita revolta na comunidade negra. Muitos manifestantes foram às ruas dos Estados Unidos para protestarem contra a morte do refugiado e contra as seguidas mortes de negros que vêm ocorrendo nos EUA.

Em menos de uma semana, um outro homem negro, Keith Lamont Scott, também foi vítima da polícia norte-americana. #Crime #Refugiados #Racismo