Olho por olho, dente por dente. O ditado é velho, mas parece que ainda tem bastantes simpatizantes no México. Em Jalisco, foram encontradas seis pessoas sem mãos, se esvaindo em sangue, na rua. Do lado, estavam as mãos, dentro de um saco plástico, e várias referências pintadas no corpo, com a palavra "ladrões". Se desconhece ainda quem foram os autores dessa barbaridade, mas na web, esse caso está dividindo opiniões. 

A polícia está investigando esse caso, mas a imprensa vai avançando com o nome de um grupo designado de "antirratas", em português, algo como anti-ladrões.

Publicidade
Publicidade

No entanto, a polícia não descarta a possibilidade de ter se tratado de um ajuste de contas, por negócios relacionados à drogas.

O certo é que seis homens e uma mulher foram encontrados sem mãos, e um deles até já estava morto. Foram assistidos pelos paramédicos mexicanos e levados para diversos hospitais na cidade de Guadalajara. Além dos graves ferimentos, os seis sobreviventes estavam em estado de choque, e a polícia falou da possibilidade deles terem sido raptados antes de terem suas mãos amputadas. 

Esse tipo de grupos pretende combater a criminalidade, impondo uma justiça mais severa, temendo a brandura das leis, tantas vezes permissivas com os assaltos. Alegadamente, as sete pessoas seriam bandidos e como usavam suas mãos para roubar, eles as cortaram, em justiça salomônica, para que eles não voltem a roubar. 

No entanto, ao fazerem isso, estavam também cometendo o #Crime de agressão e homicídio, no caso de um dos supostos ladrões. O caso está tendo enorme repercussão na web, mas com opiniões bem divergentes, causando mesmo alguma revolta e polêmica.

Publicidade

Enquanto algumas pessoas elogiam esse tipo de ação, de forma a que sejam evitados tantos assaltos, outras pessoas consideram que essa "justiça" é muito severa, havendo mesmo comparações com o Estado Islâmico. 

No Facebook, Isabel Pereira deu os "parabéns" para quem teve essa ideia, e disse que só assim os ladrões "vão acabar", defendendo que isso poderia ter servido de exemplo para muitos outros potenciais larápios. Um comentário que mereceu mais de uma centena de curtidas, mas também muitas críticas. João Nogueira respondeu mesmo que, com essa mentalidade, ela "poderia se alistar no Daesh". Ricardo Ferreira lamentou os "justiceiros do Facebook", pessoas que "condenam o terrorismo" mas apoiam essa "justiça de Salomão". 

E o leitor, o que pensa sobre esse caso? Justo ou injusto o que aconteceu com esses ladrões? Comente! #assaltantes #Castigo