Nesta última terça-feira (4), a polícia divulgou o vídeo que mostra perseguição a um homem negro, em Los Angeles. O jovem Carnell Snell Jr, de 18 anos, foi baleado e morto durante um tiroteio contra agentes policias no último sábado (01).

O caso levou a diversos protestos e reacendeu a discussão sobre questões raciais nos Estados Unidos. As imagens ainda não haviam sido divulgadas e a família do rapaz acusava a polícia de ter matado o jovem, que foi alvejado cinco vezes antes de morrer.

Segundo as autoridades locais, a decisão de divulgar as cenas da perseguição, gravadas por câmeras de segurança de um edifício, veio justamente para sanar as dúvidas sobre a culpabilidade dos policiais.

Publicidade
Publicidade

Para os agentes, foi criada uma tensão social desnecessária entorno do caso, e a divulgação das gravação poderá diminuir um pouco o alarde. Para eles, o que se está dizendo sobre o serviço prestado naquele dia é falso, e a família está criando uma confusão e reacendendo o ódio racial.

No vídeo é possível ver claramente que o rapaz portava uma arma, e que a confusão começou depois que o jovem saiu de um carro roubado e não obedeceu às ordens dos policiais, fugindo dos agentes. A perseguição só teria começado depois que o rapaz saiu correndo e, o fato de ele não ter parado, autorizou a polícia a atirar.

As cenas não mostram todo o momento do tiroteio, mas elucidam o fato dele estar armado. Para a família e os moradores locais, a versão da polícia é falsa, e tenta apenas esconder que eles mataram o jovem com tamanha crueldade somente pelo fato de ser negro.

Publicidade

O caso reacendeu a discussão sobre as diversas mortes de cidadãos afro-americanos pela polícia, que supostamente costuma agir de maneira muito mais ferrenha quando se trata de homens negros. Diversos protestos foram feitos, inclusive pela mãe do jovem que deu vários depoimentos e está extremamente consternada com a morte do filho.

Carnell teria sido a terceira pessoa de pele negra a morrer na Califórnia em menos de uma semana. Os outros dois mortos foram Alfred Olango, um imigrante de Uganda, que foi alvejado em San Diego, e Reginald Thomas que faleceu após tomar choques elétricos da polícia em Los Angeles.

A polícia agora enfrenta o descontentamento da população, uma vez que imagens das câmeras de segurança foram divulgadas mostrando a ação abusiva nas três mortes. O caso deverá ser investigado pela corregedoria, enquanto diversas associações pedem para a população afro-americana os mesmos direitos que os brancos.

#Crime #Investigação Criminal