Cenas de uma professora norte-americana praticando maus tratos contra uma aluna portadora de deficiência chocaram a opinião pública nos Estados Unidos, na última semana.

Sem saber que estava sendo filmada, a “educadora” arrasta a menina pelos cabelos em uma espécie de ginásio. Ela também aparece dando alguns tapas na vítima. O caso aconteceu em uma instituição de Educação Especial, no município de Greenville, no Mississipi.

Uma enxurrada de críticas dentro da escola e também nas redes sociais colocou em xeque a segurança das escolas para crianças especiai, nos Estados Unidos. O vídeo, publicado em redes sociais, chamou a atenção e criou-se um clamor para que a profissional fosse punida por seus atos.

Publicidade
Publicidade

E foi o que aconteceu. A professora, identificada como Linda Winters-Johnson, acabou sendo mandada embora da escola Greenville High School.

No vídeo, ela aparece já maltratando uma menina que está deitada e tenta se levantar. Quando ela tenta abrir a porta, a professora, que aparenta ter mais de 50 anos, a agarra pelo coque no cabelo e a arrasta com toda a força por alguns metros.

Compartilhado milhares de vezes, o vídeo servirá como prova para outras punições. Por meio das cenas gravadas, o Conselho de Administração das Escolas Públicas de Greenville estuda tomar outras medidas contra conduta agressiva e injustificável da docente.

A previsão é que no início de novembro seus membros cheguem a uma conclusão. Uma das possibilidades é a licença de Linda para lecionar no Ensino Especial seja suspensa ou mesmo revogada em definitivo.

Publicidade

Linda também está sendo acusada de bater na cabeça da adolescente. Tudo aconteceu durante uma aula de Educação Física.

Conforme noticiou a imprensa norte-americana, as autoridades locais disseram que o episódio aconteceu no final do mês passado.

Até a polícia entrou em cena e apura se esta é a primeira vez que a docente pratica maus tratos contra incapazes. Segundo a polícia, apesar das investigações, até agora não foi apresentada queixa criminal formal contra a Linda.

#Crime #Casos de polícia