O jovem, de 22 anos, que foi flagrado em janeiro passado dando um soco em um jovem numa boate australiana foi condenado a 12 anos de prisão nesta terça-feira (18).

Um vídeo feito por câmeras de segurança do estabelecimento mostram o momento em que ele desfere um forte murro no rapaz, que bate a cabeça numa mesa e cai no chão, já sem consciência.

O caso aconteceu na região conhecida como Perth. Brent Robert Johnston, o agressor, estaria alcoolizado.

A vítima, Tristan Ceccato, sofreu danos corporais graves. Pelas imagens é possível ver que o jovem apenas esbarra em Brent, que surpreendentemente revida com um forte soco. Depois de nocauteá-lo, ele foge do local.

Publicidade
Publicidade

Algumas pessoas acodem a vítima e outras, atônitas, tentam ver para onde o agressor foi, na tentativa de pará-lo.

Tristan tem 23 anos e é formado em Economia. Ele tinha ido para aquela região para começar em um novo emprego. Porém, teve de adiar sua apresentação por vários dias, já que ficou com dentes quebrados e hematomas na mandíbula, face, pescoço, ombros e peito. Tudo isso porque ao perder a consciência,  caiu de cara no piso de tijolos.

Além de tratamentos cirúrgicos, odontológicos e de fisioterapia, o jovem ficou com traumas emocionais daquela que para ele foi a pior experiência de sua vida.

O Juiz distrital que condenou  agressor, John Staude, disse que ele estava fortemente intoxicado. O magistrado descreveu o golpe como “covarde” e ressaltou que por uma questão de sorte as lesões Ceccato não foram mais graves.

Publicidade

“Este #Crime foi agravado pelo fato de que foi totalmente imprevisível. Além disso, foi um duro golpe para a parte de trás da cabeça da vítima, em circunstâncias que a vítima não podia vê-lo e por isso nada pôde fazer para proteger a si mesmo", disse ele.

O juiz Staude afirmou que o agressor se disse envergonhado de suas ações e arrependido. Ele afirmou que tinha parado de beber álcool e estava fazendo acompanhamento psicológico. Como prova de seu arrependimento, escreveu uma carta de desculpas à vítima e pagou mais de 7.000 dólares em despesas médicas.

Ainda assim, o juiz considerou que pela ofensividade do ataque ele precisava de prisão imediata, até para servir de exemplos para outros valentões.

#Casos de polícia