Toda mulher tem o sonho de ser mãe e acredita que o seu filho nascerá completamente perfeito. Com uma mãe indiana não foi diferente, ela descobriu que estava à espera de gêmeos. Tudo ia muito bem, até o nascimento das crianças. A dar a luz, ela descobriu que apenas uma criança havia nascido, mas que essa tinha duas cabeças. De acordo com os médicos, eram duas crianças, mas uma morreu "parcialmente". Isso porque eram irmãos siameses, mas um virou parasita do outro. O caso é tido como extremamente raro pela ciência e pela medicina. Apesar da raridade, os irmãs nasceram em parto normal.

O chamado parasita tem cabeça e coração, mas não possui o órgão genital.

Publicidade
Publicidade

No entanto, tecnicamente o parasita não tem a menor chance de sobreviver. Por isso, os médicos querem discutir um jeito de salvar o irmão que possui todos os órgãos. A principal dificuldade é que eles compartilham o mesmo sistema sanguíneo. Uma equipe médica da Índia discute agora a melhor maneira de fazer isso, mas alerta para que a sobrevivência da criança não será algo fácil. A foto dos gêmeos siameses está chocando meio mundo. Para visualizar a imagem, basta ir até à galeria dessa reportagem, que fica na parte de cima do texto. Lembramos que para algumas pessoas esse conteúdo é forte.

A mãe de 28 anos, não fez o pré-natal corretamente, nem mesmo um exame capaz de verificar que os gêmeos iam bem, a chamada ecografia. Ela ainda sempre quis, por questões religiosas que as crianças nascessem em casa e não em um hospital.

Publicidade

A mulher foi identificada como Hemlata Singh. O esposo da felizarda, vendo que as contrações estavam fortes demais, mas que não tinha a dilatação correta para a passagem dos bebês, decidiu levá-la até ao hospital, onde eles descobriram que tinham gerado os siameses.

Anurag Singh, médico que fez o parto, informou que a tal situação acontecia em média uma vez a cada 500 mil nascimento de gêmeos, que já são raros na população normal. Ele explica que a situação é motivada porque um dos embriões demora demais a se desenvolver. #Família