Essa semana, um novo bombardeio atingiu uma zona civil de Damasco, na #síria. Um bombardeio, que segundo a Agência AFP, foi feito pelas bases do governo, atingiu um jardim de infância, levando a óbito, pelo menos, seis crianças, e ferindo 17 pessoas, em sua maioria, outras crianças.

A escola infantil fica localizada nos subúrbios de Damasco, em Harasta. Após socorrer as vítimas, fotos da escola foram divulgadas na internet e por meios de comunicação da Ásia e Europa. Brinquedos misturados com sangue se destacaram e chocaram muitas pessoas.

A tragédia foi confirmada pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). Outros bombardeios similares aconteceram ao longo da semana passada.

Publicidade
Publicidade

Desde que a guerra na Síria começou, em 2011, mais de 300 mil pessoas já morreram. Mesmo com a ação de coalizões contra o terrorismo, os rebeldes contrários ao governo de Bassar só aumentam e se espalham, de forma que os civis, em sua maioria crianças e mulheres, são os que mais sofrem com os constantes bombardeios, ora da base militar do governo, ora das coalizões, ora dos próprios rebeldes.

Na Síria atuam diversos grupo, além do Daesh, que instituiu o #Estado Islâmico. O local onde aconteceu o bombardeio contra a escola infantil, é majoritariamente, dominado pelo grupo terrorista Jaich al-Islam (Solados do Islã), que por sua vez, são rivais dos jihadistas e além da #Guerra Civil contra o governo e seus aliados, também vive em guerra com os terroristas que julgam ser seus rivais na conquista pelo território e criação de um califado único.

Publicidade

Coalização mata 20 civis em Raqqa

Não muito distante de Damasco, pelo menos vinte civis foram mortos em uma ofensiva da coalizão americana. Dentre os mortos estão duas crianças. Pelo menos outras 32 pessoas ficaram feridas. As tropas curdo-árabes, que fazem a ofensiva da coalizão no local, negaram que tenham matado civis e afirmaram que a notícia foi propagada pelo Estado Islâmico. Os ataques também mataram seis integrantes do EI.

Já John Dorrian, coronel e porta-voz da coalizão americana, confirmou bombardeios em Al Heisha e disse que necessita de maiores informações para poder determinar a culpa na morte dos civis.

A cidade de Raqqa, onde acontece as ofensivas, fica divisa entre a Síria e o Iraque, sendo as duas regiões, dominadas pelos terroristas do EI, que além de ditarem as regras do local, matam quem não as segue, força mulheres ao casamento e recrutam crianças e adolescentes para se tornarem combatentes do grupo.