Foi revelada a sentença para o homem que foi acusado, pela própria namorada, de ter forçado sexo quando ela estava em trabalho de parto. O caso causou choque geral, mas a Justiça foi rápida para tomar uma decisão. O julgamento durou somente cinco dias mas os jurados não precisaram mais do que meia hora para julgar e tomar uma decisão, que foi a de absolver o homem, que estava acusado de #Estupro da namorada, horas antes de ela dar à luz o bebê do casal. Para um caso tão chocante, as reações a essa decisão estão sendo muitas e bem diferentes.

Na cidade de Hull, na Inglaterra, uma mulher acusou o namorado de ter forçado ela a ter #sexo com ele.

Publicidade
Publicidade

Alegadamente, ela estaria já em trabalho de parto e se contorcendo com dores, quando ele a viu nua e falou que estava se "sentindo excitado". "Está falando sério?", teria sido a pergunta da namorada, uma vez que não queria acreditar que o companheiro pudesse pensar em sexo, quando ela estava sofrendo com tantas dores.

De acordo com a denúncia da mulher, que tal como o companheiro, têm as identidades por revelar, ela teria saído da cama, por não estar aguentando as dores. Estava despida e se colocou no chão, sobre os quatro membros, tentando encontrar algum conforto, que minimizasse suas dores de pré-parto. Ele teria acordado e viu a namorada, nessa posição e nua, no chão do quarto, o que teria despertado seu interesse sexual. Depois de isso, ele foi dormir novamente, e ela foi para o hospital ter o filho do casal.

Publicidade

Essa foi a versão da mulher, mas o namorado sempre negou que tivesse tido relações com ela nesse dia. E o tribunal parece ter dado razão para o homem. Pelo menos, não vai condenar o abuso sexual, o que poderia ter acontecido somente por falta de provas.

No Tribunal, o que ficou declarado e que os júris teriam dado mais relevo, foi que a mulher demorou muito nas suas acusações. Depois da criança nascer, eles ainda conviveram de forma aparentemente carinhosa. Depois de sair do hospital, ela ficou uns dias na casa da mãe e só algum tempo depois de regressar a casa, com o companheiro e o filho, é que ela resolveu denunciar esse alegado abuso.

Nas redes sociais, as pessoas vão comentando este caso, que consideram "confuso". Muitos não querem acreditar que homem algum conseguisse forçar uma mulher a um ato sexual, mesmo em trabalho de parto, enquanto que outros resumem seu comentário sobre "um caso nojento, o que quer que tenha acontecido". #Grávida