Brand Worley, 30 anos, cometeu um #Crime bárbaro na madrugada de quinta-feira, 17 de novembro, em Darlington, Indianápolis, na Grã-Bretanha. A mulher matou os dois filhos, de 3 e 7 anos de idade, um dia após o marido terminar o casamento.

Por volta das 4h30min, a mulher ligou para a emergência. Segundo o bombeiro que atendeu a ligação, ela afirmou ter matado os dois filhos brutalmente e ameaçou se matar.

Ao chegar na casa, as autoridades encontraram os dois meninos mortos no quarto. A mãe foi socorrida com ferimentos graves no pescoço e levada ao hospital por uma ambulância.

“Os vizinhos relataram que não existiam episódios de violência naquela família, nunca perceberam nenhum tipo de problema de relacionamento entre Brandi e o marido”, afirmou o delegado responsável pelo caso.

Publicidade
Publicidade

Mark Casteel disse que o marido pediu o divórcio e foi dormir no porão da casa, não ouviu e nem percebeu que a mulher ia cometer esse crime macabro.

Emocionado, o delegado disse que encontrou uma cena de horror na casa. “Não estamos acostumados a lidar com uma situação tão horrível como esta”, afirmou o policial.

Os vizinhos não esconderam o choque que sofreram quando ficaram sabendo do acontecido. Uma amiga de Brand disse que não consegue entender as razões que levaram a mulher a assassinar os próprios filhos, de 3 e 7 anos, de maneira tão brutal. “É uma situação irreal para mim”, disse Victoria Brussell.

O pastor da igreja do bairro ficou chocado com a morte das duas crianças inocentes, disse que é uma tragédia para a comunidade local.

O governo enviou conselheiros e psicólogos para a escola onde as crianças estudavam, para auxiliar os amigos da vítima a entenderem o que aconteceu, sem causar feridas emocionais ou traumas.

Publicidade

A mulher está internada no hospital, passou por cirurgia e seu estado é estável. Ela vai ser julgada por #assassinato.

O pai das vítimas ficou extremamente abalado com a morte dos filhos e não quis se pronunciar sobre o assunto.

Deixe seu comentário, sua opinião é importante para este site. #Casos de polícia