A nação mais poderosa do mundo, os Estados Unidos, em breve conhecerá o seu novo presidente. O republicano #Donald Trump e a democrata Hilary Clinton estão na reta final de uma eleição disputada ponto a ponto. E na noite desse sábado (05), Donald Trump levou um susto ao discursar na cidade de Reno, Nevada. O republicano teve que ser retirado às pressas do palanque por agentes do serviço secreto americano, após uma ameaça vinda do público.

Segundo o jornal "Folha de São Paulo", testemunhas que estavam bem em frente ao palanque disseram que houve um grande tumulto que levou o candidato republicano a pôr as mãos sobre os olhos para tentar enxergar quem eram os responsáveis pelo tumulto.

Publicidade
Publicidade

Quando Trump interrompeu seu discurso e colocou as mãos nos olhos, rapidamente os dois agentes entraram em sua frente, servindo de escudo humano, caso houvesse tiros.

Tumulto se iniciou após alguém gritar “Arma!”

Após o ocorrido, o serviço secreto americano lançou um comunicado a imprensa dando explicações sobre os fatos que aconteceram e que colocaram em risco a segurança do candidato a presidência dos Estados Unidos. Segundo o serviço secreto, todo o tumulto generalizado, se iniciou na plateia, após serem ouvidos os gritos de “Arma! Arma! Arma!”.

Após os gritos, rapidamente os agentes protegeram Trump e outros foram a plateia e imobilizaram um homem que foi levado para fora do local do evento. Mostrando a eficácia do serviço de segurança em comícios políticos.

Após o ocorrido, o evento continuou normalmente, e Donald Trump voltou ao palanque e com uma única frase "incendiou” o público.

Publicidade

“Nunca seremos parados”. E logo em seguida agradeceu as centenas de pessoas presentes pelo apoio “inabalável” que, em sua opinião, muitas vezes é um apoio inacreditável. Ele também agradeceu ao serviço secreto pela agilidade no trabalho de proteção e segurança em torno de atentados.

Assista na íntegra, o vídeo do exato momento em que Trump coloca às mãos nos olhos e, logo em seguida, é retirado às pressas pelos agentes de segurança em seu comício.

#EUA #Eleições EUA 2016