Em uma época na qual os interesses econômicos se sobrepõem às ideologias, é preciso lembrar que alguns personagens fizeram história justamente por acreditar que poderiam mudar o mundo. Concordando ou não com os ideais da #Revolução Cubana, não há como negar o heroísmo de quem lutou por seu povo. Ainda que o resultado da Revolução Cubana tenha sido uma nova ditadura, é inegável a importância de quem é capaz de ser fiel a sua ideologia, quando esta palavra parece ter se tornado abstrata.

Na noite de sexta-feira (25), morreu em Havana, Cuba, o líder e comandante em chefe da Revolução Cubana Fidel Castro. O comunicado foi feito por seu irmão Raúl Castro, através de uma mensagem transmitida pela televisão.

Publicidade
Publicidade

Cuba e a Revolução

O pequeno país do Caribe, vivia sob a ditadura de Fulgencio Batista, quando em 1959, ao lado do irmão Raúl e do argentino Che Guevara, Fidel liderou a guerrilha em Sierra Maestra que derrubou o governo. Não foi sua primeira tentativa, a primeira, seis anos antes, havia fracassado.

Com a vitória, Fidel assumiu o poder político e militar de Cuba. Seus ideais socialistas colocaram os Estados Unidos em alerta e as relações com a então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) levaram ao bloqueio econômico e à invasão da Baía dos Porcos, em 1961.

A partir de então, romperam-se as relações entre a pequena ilha e a maior democracia capitalista do mundo.

Derrubada uma ditadura opressiva, outra estabeleceu-se em Cuba. Desta vez, com o suporte econômico do lado comunista do planeta.

Publicidade

Com isso, Cuba atingiu um invejável patamar de desenvolvimento social, com forte investimento na saúde, na educação e na cultura.

Depois da dissolução da União Soviética, Cuba passou a enfrentar o empobrecimento. A insatisfação da população com a falta de liberdade de expressão e a falta de acesso a necessidades básicas, fez com que mais de um milhão de cubanos fugissem do país.

Controverso e carismático, #Fidel Castro se manteve no poder por 47 anos, enquanto sua saúde permitiu. Passou então o comando para seu irmão Raúl Castro.

As relações com os Estados Unidos começaram a mudar a partir do governo de Barack Obama. Apesar de não haver cumprido a promessa de campanha de acabar com a prisão de Guantánamo, localizada em Cuba, Obama visitou o país em março de 2016, sinalizando o fim do embargo econômico. Como resultado simbólico deste encontro oficial entre os inimigos, foram reabertas as Embaixadas em ambos os países.

Dono da palavra como poucos, Fidel é famoso por seus intermináveis discursos e frases memoráveis. A mais famosa talvez seja: "A história me absolverá". Antes de morrer porém, fiel como sempre a sua ideologia, declarou: "Não necessitamos que o império nos dê nada de presente", referindo-se à aproximação de seu país com os EUA.

O corpo de Fidel Castro será cremado e o funeral ocorrerá no dia 4 de dezembro. #Morte