Com objetivo de registrar o encantador fenômeno das auroras boreais, conhecidas como ‘Luzes do Norte’, o fotógrafo Oliver Wright acabou surpreendido ao captar um suposto objeto voador não identificado (ovni/UFO), na mesma noite em que fotografou o evento, no início de novembro.

De acordo com informações do periódico britânico Daily Star, edição de quinta-feira (17), enquanto Wright fotografava as impressionantes luzes verdes sobre o Parque Nacional Abisko, situado na cidade de Kiruna (Suécia), um enigmático objeto surgiu nas fotografias. Era uma luz de aparência artificial - sem relação com as auroras boreais.

Conforme o autor das imagens, o UFO retratado em quatro ocasiões surgiu sobre o céu do Ártico às 22h40, sob a forma de uma intensa luz branca de aspecto artificial.

Publicidade
Publicidade

Além do forte brilho, a estrutura também deixou um rastro ao se mover no céu, segundo Wright.

Intrigado com o avistamento de uma hipotética nave extraplanetária no momento em que partículas do vento solar impactavam contra a alta atmosfera da Terra, que, após serem absorvidas pelo campo magnético se transformam no impressionante efeito óptico conhecido como Luzes do Norte, o fotógrafo enviou as quatro imagens ao colega Chad Blakely, no intuito de que ele descobrisse a procedência do ‘ovni’.

Ao procurar informações do evento em uma webcam do Parque Nacional Abisko, Chad revelou ao amigo, a chance dele ter captado o rastro de um foguete, lançado pouco antes do aparente UFO despontar no céu.

"Começamos a obter relatórios de pessoas vendo as imagens online que acreditavam que a nuvem [foi] produzida a partir do combustível de foguete que foi lançado recentemente”, disse Chad Blakely.

Publicidade

Embora autoridades não tenham comentado a respeito, ao pesquisar sobre o lançamento de um artefato explosivo naquele período, Oliver Wright descobriu que um foguete chamado Atlas V 401 havia sido lançado na base da Força Aérea Vandenberg, na Califórnia (EUA), e que a órbita do objeto estava definida para percorrer a Terra de “polo a polo”.

Ainda que um foguete tenha sido lançado ao espaço naquela data, não há confirmação do horário em que ele passou sobre a cidade de Kiruna.

Até o momento, a ideia da luz ser decorrente de um foguete é meramente especulativa. A única certeza é a de que um objeto anômalo foi captado sobre o céu do Ártico. Esse fato é inegável.

Abaixo, veja o Twitter oficial do fotógrafo Oliver Wright, onde uma reportagem local suscita a hipótese dele ter captado um foguete.

#Mídia #Curiosidades #Viral