O cenário atual da fronteira entre a Noruega e a Rússia é de tanques da marinha dos #EUA brotando da silenciosa floresta congelada de pinheiros, enquanto aviões inimigos sobrevoam suas cabeças, entre fumaças amarela e verde.

E qual seria o propósito e o alvo dessas tropas americanas? O alvo é um tanque de guerra inimigo, tripulado por soldados noruegueses. Tudo parece um jogo de tabuleiro, semelhante ao "War". Mas é a realidade ao longo da fronteira com a Rússia.

A aliança dos Estados Unidos com a OTAN estabeleceu que cerca de 300 fuzileiros navais norte-americanos deverão permanecer permanentemente na Noruega, como parte de um pacote de medidas destinadas a assegurar a tranquilidade em um dos membros mais complicados da aliança.

Publicidade
Publicidade

Tudo isso são medidas preventivas, pois segundo um alto funcionário de segurança norueguês, em entrevista à CNN, há preocupações crescentes com as ameaças feitas pela Rússia depois das ações na Crimeia e no leste da Ucrânia, nas quais rebeliões de pequena escala foram respaldadas com o uso discreto do poderio militar russo.

No geral, existem duas estratégias principais. Primeiramente, a presença de veículos blindados, que permite um confronto direto e no qual forçaria a Rússia a introduzir veículos blindados no conflito, deixando claro que as forças atacantes têm apoio do Estado.

Em segundo lugar, a presença permanente de fuzileiros navais norte-americanos, o que deve garantir que, ao ocorrer qualquer interferência no território norueguês, os Estados Unidos serão envolvidos definitivamente nos combates.

Publicidade

Porém, o novo presidente americano eleito, Donald Trump, alegou que pode reavaliar a aliança com a OTAN, classificada por ele como obsoleta. Ele deu a entender que o acordo está provocando uma verdadeira fortuna em gastos para os EUA, e vem considerando a retirada dos americanos da região, deixando os aliados na fronteira oriental da Europa desprotegidos.

É necessário aguardar para ver o desenrolar dos fatos e a posição definitiva do novo presidente nessa guerra. #Mundo #Guerra Civil