Nesta terça-feira (8), os norte-americanos irão às urnas para decidir quem será o novo presidente dos Estados Unidos. As mais recentes pesquisas eleitorais mostram que #hillary clinton, do Partido Democrata, e Donald Trump, do Partido Republicano, brigarão voto a voto no que promete ser uma das eleições mais disputadas da história americana. Apesar disso, uma pesquisa da Reuters indica que Hillary Clinton, esposa do ex-presidente Bill Clinton, tem 90% de chances de se tornar a primeira mulher presidente da maior potência mundial.

Últimos passos da campanha

Nos últimos dias, tanto Hillary quanto Trump foram a estados que tem tradição de "mudanças" de partidos a cada eleição. Os dois fizeram comícios em Michigan, Carolina do Norte e Pensilvânia.

Publicidade
Publicidade

O candidato republicano também percorreu New Hampshire e a Flórida, estados que podem ser decisivos na eleição por conta de seu grande colégio eleitoral. Já Clinton fez aparições nas cidades de Oakland, uma das mais violentas do país, e na Filadélfia, onde teve a companhia da família Obama, incluindo o presidente e cabo eleitoral democrata, Barack Obama. Nesta terça-feira, os dois candidatos votam em Nova York, onde ficarão até o fim do dia acompanhando a apuração dos votos.

Pesquisas: Hillary vence

Praticamente todas as pesquisas de intenção de voto dão como certa a vitória de Hillary Clinton, apesar da pequena margem de vantagem. Em oito pesquisas de institutos diferentes, apenas um aponta Donald Trump como vencedor, com cinco pontos a mais que Clinton. Todos os outros 7 levantamentos mostram Hillary como vencedora, com a vantagem da democrata variando entre um a sete pontos sobre o republicano.

Publicidade

Com isso, a expectativa é de que Hillary Clinton tenha cerca de 300 votos no colégio eleitoral, contra cerca de 240 de Donald Trump. Para vencer, um dos candidatos precisa alcançar 270 votos.

Como são as eleições nos EUA?

Diferente do Brasil, o voto não é obrigatório nos Estados Unidos. Outra diferença é que, em alguns estados norte-americanos, os eleitores já podem ter votado antes do dia oficial da eleição. É o que aconteceu com o atual presidente, Barack Obama. No último dia 7 de outubro ele esteve em Chicago, sua cidade natal, para dar o voto ao candidato que será seu sucessor.

Porém, a grande diferença entre as eleições americanas e brasileiras é a forma de eleger o presidente. Apesar do voto ser direto, o vencedor não terá, necessariamente, o maior número de votos entre os eleitores. Isso porque a definição se dá pelo colégio eleitoral. Exemplo: se um estado X tem 20 delegados no colégio eleitoral e 500 eleitores de Hillary, ele vale mais que o estado Y, que tem 1000 eleitores de Trump e apenas 10 delegados eleitorais.

Publicidade

Na conta, ficaria 20 para Clinton e 10 para Trump, mesmo com o republicano ganhando mais votos dos eleitores. Recentemente isso aconteceu. Nas eleições de 2000, George W. Bush foi eleito presidente dos Estados Unidos por ter conseguido mais delegados que Al Gore, que venceu na opinião dos eleitores. #EUA #Eleições EUA 2016