Um homem de 18 anos foi condenado em um tribunal francês por apologia ao Estado Islâmico. O jovem foi condenado a uma pena de três meses de prisão por que decidiu chamar sua rede de internet sem fio de “Daesh 21”. Essa notícia surpreendeu muitos franceses que consideraram a condenação exagerada.

O homem, cujo nome não foi revelado, foi processado devido à nova lei francesa de antiterrorismo. Essa lei foi aprovada em novembro de 2014 e diz que quem diretamente provocar ou fizer apologia a atos terroristas está cometendo um crime.

Quem for condenado pode ser punido com uma pena de prisão até cinco anos e com uma multa que pode atingir os 75 mil euros (R$ 270 mil).

O nome “Daesh 21” faz uma alusão a dois códigos.

Publicidade
Publicidade

Daesh, como se sabe, é uma das designações da organização terrorista #Estado Islâmico, enquanto que o número 21 representa a Costa de Ouro, ou seja, o departamento francês onde a cidade de Dijon se localiza.

O jornal local de Dijon, o Le Bien Public, assistiu à sessão do tribunal e descreveu o jovem de 18 anos como completamente surpreendido e assustado. O homem declarou perante o juiz que “não é um terrorista”. Primeiramente, ele foi condenado a 100 horas de trabalho comunitário, porém ele recusou, e o Juiz decidiu condená-lo a três meses de pena.

A advogada do homem revelou aos jornalistas que foi um dos seus vizinhos quem fez a denúncia à polícia. As autoridades foram depois até a rua onde mora o rapaz e verificaram a existência da rede, começando a fazer diligências junto à empresa operadora de internet para finalmente identificar o acusado.

Publicidade

Autoridades investigaram as redes sociais do condenado

A advogada acrescentou ainda que o computador, o telefone, o Twitter e o Instagram do seu cliente foram analisados pelas autoridades. No entanto, não foi encontrada qualquer informação de apologia ao #Terrorismo. Entretanto, o nome da rede sem fio do jovem foi alterada para “Roudoudou 21”, o nome de uma banda francesa de música eletrônica.

A advogada do homem deve apelar da decisão para um tribunal superior francês ou para um tribunal europeu. Vários especialistas em legislação consideraram a condenação exagerada, uma vez que é contrária à lei de liberdade de expressão existente naquele país. #Europa