Apesar do bizarro #Crime de ódio (aqueles motivados pelo preconceito) ter acontecido no início de outubro, no bairro Brent Cross, norte de Londres (Inglaterra), somente em novembro ele foi divulgado pelo periódico Britânico Metro.

Na ocasião, dois ingleses desocupados resolveram profanar a fé de um homem muçulmano ao jogarem diversos pedaços de bacon nele. O fato teria ocorrido enquanto a vítima rezava para Maomé, numa mesquita de Londres.

De acordo com a polícia, a ‘arma do crime’ foi encontrada em posse de Piotr Czak-Zukowski, 28 anos.

Ao abordarem o rapaz, oficiais notaram que o pacote de bacon estava vazio. O 'bandido' havia desperdiçado deliciosas fatias do alimento com objetivo de incomodar e humilhar um cidadão de crença e cultura diferente da dele.

Publicidade
Publicidade

Segundo o jornalista Harley Tamplin (Metro), ele e o amigo Mateusz Pawlikowski, 22, também proferiram injúrias contra o homem.

Após humilharem o sujeito, a dupla de xenófobos jogou fatias de porco processado no muçulmano, que estava no interior da mesquita - considerada sagrada para os seguidores da religião.  

Contudo, não satisfeitos em depreciar a vítima, os infratores ainda arremessaram pedaços do produto no chão da sala de oração, numa nítida demonstração de intolerância étnica e religiosa.

Porém, a polícia informou que logo após o crime, o homem de 22 anos foi preso próximo à mesquita. No entanto, o colega de 28 teria sido capturado horas depois, numa região mais afastada da cena do crime. Eles foram condenados a oito meses de prisão.

Para o policial Tracey McMath, a sentença proferida contra a dupla mostra que o governo inglês repudia qualquer tipo de crime de ódio.

Publicidade

"Os réus apresentaram um total desrespeito pela fé e crença dos outros, neste incidente cruel e altamente ofensivo; não vamos tolerar o crime de ódio em qualquer de suas formas”, declara McMath.

Embora a atitude pareça inofensiva, afinal, ninguém morre ao ser atingido por pedaços de bacon, o simbolismo do ato praticado revela o aumento da característica sombria e colérica contra os muçulmanos que vivem na Europa.

No fim, essa matéria não é sobre o bacon, nem sobre os desajustados infratores, mas sim sobre a natureza humana, que a cada dia parece estar menos civilizada e mais embrutecida. #Mídia #Curiosidades