Mais um agressor de mulheres foi identificado através do registro de câmeras de segurança públicas instaladas em ruas. Graças ao registro, a vítima foi identificada, socorrida e agora está em segurança.

O caso aconteceu na #Espanha, na cidade de Alicante. Uma mulher, de nacionalidade húngara, de 38 anos, estava voltando para a sua casa quando foi surpreendida pela aparição do seu namorado, um jovem ucraniano de 22 anos.

As cenas mostram o momento em que ela está chegando e ele vem correndo em sua direção, imediatamente a atacando com socos e a jogando no chão. Na sequência, ele desfere vários socos e chutes na mulher, por fim arrastando-a pelos cabelos escada acima e pelo corredor.

Publicidade
Publicidade

As imagens são fortes, angustiantes e mostram a mulher tentando se defender, porém, sem sucesso diante da agressividade do jovem descontrolado e violento.

Não se sabe o que aconteceu imediatamente depois do ataque registrado, porém, a alta #Violência chocou os operadores das câmaras que, chocados com a #agressão, levaram o vídeo para as autoridades policiais da cidade.

Confira o vídeo:

Abriu-se um inquérito que permitiu a identificação dos envolvidos, tanto do agressor quanto da vítima. Em pouquíssimos dias, a Guarda Civil realizou a operação que levou o agressor à prisão.

Após a prisão de seu agressor, a vítima, cuja identidade está sendo preservada, foi levada à delegacia e em depoimento relatou que, infelizmente, essa não foi a primeira agressão física que sofreu de seu parceiro. Ela afirmou que nunca procurou as autoridades para realizar a denúncia por medo de represálias e por medo de que, se descoberta por ele, ele continuasse com os ataques e os intensificasse.

Publicidade

Agora que ele está preso por violência à mulher, a vítima pôde, finalmente, realizar a queixa contra ele. Ele permanece preso e ela está se recuperando do ataque sofrido tanto fisicamente quanto psicologicamente.

As cenas da violência sofrida foram divulgadas pela Guarda Civil em uma campanha de conscientização contra a violência contra a mulher. As cenas são fortíssimas e mostram desde o momento do ataque recebido até a prisão do agressor.

Campanhas como essa reforçam a conscientização sobre os casos e relatos como esse mostram que muitos casos não são divulgados pelo medo que as vítimas sofrem. Mostram também que atos de violência como esses não passam mais impunes, devem e são cobrados.