Uma turista inglesa passou de vítima a criminosa em Dubai, nos Emirados Árabes. Ela acabou detida depois de denunciar às autoridades policiais locais ter sido vítima de um estupro coletivo na cidade modernista.

A mulher, de 25 anos de idade, foi criminalizada sob a alegação de que infringiu as leis do país, que não permitem o sexo fora do casamento. O mais inusitado do caso é que os dois homens apontados por ela como os responsáveis pelo abuso sexual ficaram impunes. Eles também são britânicos e foram liberados pelas autoridades a voltar para suas residências, sem qualquer sanção ou intimação judicial para esclarecimento dos fatos.

Publicidade
Publicidade

O caso, que repercutiu internacionalmente pelo machismo representado nas leis do país, ocorreu em outubro. Não adiantou a jovem explicar que foi forçada a manter relações com os dois suspeitos. Por ser casada oficialmente, ela foi criminalizada como adúltera. Outro ingrediente para essa história bastante controversa é que a jovem estaria, na prática, separada, embora no papel ainda conste o matrimônio como válido.

A britânica, cuja identidade não foi revelada, foi presa imediatamente depois de denunciar seus agressores pelo estupro. Ela foi privada de liberdade já na delegacia de Dubai, onde procurou ajuda.

Só depois de pagar uma fiança ela foi liberada. Entretanto, as autoridades locais a impediram de deixar os Emirados Árabes rumo ao seu país natal, já que ela ainda deve o equivalente a 30 mil dólares (R$ 102 mil) em taxas e despesas legais.

Publicidade

De acordo com o jornal britânico The Sun, a moça disse que conheceu os dois homens no bar do hotel onde os três estavam, em Dubai. Conforme sua versão, cientes das leis desfavoráveis às mulheres no país, eles a levaram para o seu quarto e a estupraram seguidas vezes. Os abusos foram inclusive filmados.

Ainda, segundo o veículo, os dois teriam retornado para o Reino Unido, na cidade de Birmingham, cinco horas após o #Crime.

Um amigo da britânica contou ao periódico que ela foi até a delegacia de Dubai na condição de vítima. E, apesar de tudo o que passou na mão dos dois estupradores, ela ainda está sendo tratada como uma criminosa.

De acordo com o The Sun, nos Emirados Árabes Unidos é crime manter casos extraconjugais. Uma pessoa que não é casada, mas que mantém relações sexuais com alguém que é, também é considerada criminosa. #Casos de polícia