Nos últimos dias foi veiculada pela imprensa mundial uma reportagem com a foto de uma imensa cratera que surgiu repentinamente na cidade japonesa de Fukuoka, causando espanto e tristeza em muitas pessoas; todavia, para o bem comum da sociedade do Japão como um todo, mais uma vez a administração pública e classe política de dirigentes do país do sol-nascente puderam demonstrar para todos como eles tratam os bens públicos comuns à sociedade que por lá vive ou passa, mesmo que momentaneamente.

Enfim, a Prefeitura de Fukuoka foi extremamente rápida, idônea e eficiente no processo não só de tapar, mas como reconstruir tudo o que foi destruído em um raio de 800 metros quadrados pela cratera abissal, localizada em uma movimentada esquina da cidade.

Publicidade
Publicidade

Conforme revelado pelo noticiário local, a empreitada a princípio gigantesca levou somente 48 horas para ser construída, ficando a obra de reparo, melhor do que a condição anterior da via pública.

Sim! O buraco foi devidamente tapado aos olhos de todos, mas os colaboradores da prefeitura foram incumbidos de asfaltar e também pintar todas as ruas que foram diretamente atingidas pela cratera que surgiu na quarta-feira, dia 8 de novembro. Obviamente para o serviço ficar completo e não “remendado” com o risco de desabar tudo novamente, como é feito em algumas obras públicas brasileiras, as tubulações por onde passa água junto com os canos dos fios e cabos elétricos, também foram devidamente reparados ou repostos onde era necessário.

O problema acabou provocando nos últimos dias o completo estanque do trânsito naquela região, cessou o fornecimento de eletricidade à população e foi necessário que os prédios vizinhos ao enorme buraco fossem evacuados na sua totalidade.

Publicidade

Felizmente a cratera, apesar de medir aproximadamente 15 metros de profundidade, não causou nenhuma vítima fatal ou mesmo pessoas feridas. Conforme informativo técnico das autoridades de Fukuoka, que na atualidade é a 5ª maior cidade japonesa, possuindo cerca de 1,4 milhão de habitantes. O surgimento da cratera no centro urbano foi em decorrência do deslizamento de terra causado por águas do subsolo que têm passagem nos túneis existentes em locais perto das obras que estão sendo realizadas para se ampliar a linha de metrô daquela parte do país, reiterou a agência de notícias japonesa, Kyodo.

Resumindo, qualquer comparação com o incidente da cratera ou afins que ocorreu no Japão, não pode ser considerado como tendo obrigatoriamente a chance de receber o mesmo tratamento, transparência e solução por parte de alguns governos do Brasil. Qual a sua opinião sobre o assunto? #Governo #Aluvião #Desenvolvimento Tecnológico