Na noite deste último domingo (30), novas revelações sobre o caso do jovem François Patrick Nogueira Gouveia, que matou e esquartejou os tios e os primos na Espanha, foram mostradas no programa do Fantástico. Foi divulgada uma conversa pelo aplicativo #WhatsApp com seu amigo Marvin Henrique Correia, de 18 anos, onde ele contava, em tempo real, como estaria assassinando cada integrante da família. Patrick ainda postou selfies com os corpos das vítimas e mandou para o amigo.

Marvin foi preso semana passada pela Polícia Federal, após emprestar o celular a um amigo que, ao mexer no aparelho, acabou lendo toda conversa entre os dois.

Publicidade
Publicidade

Chocado com o teor das conversas e as imagens contidas no celular, resolveu entregar à polícia como prova contra Patrick. A Polícia Federal, ao fazer uma análise mais apurada nas conversas, decidiu prender o jovem, para averiguar a real participação dele nos crimes, mesmo à distância. O mais assustador foi à maneira fria como eles conversavam enquanto Patrick cometia os assassinatos. Acompanhe agora trechos da conversa:

  • Patrick: “Boy, tô só esperando o quarto integrante”;
  • Marvin: “Queria imaginar a cena”, “Você chegando para matar”, “Kkkkk”;
  • Patrick: “Cheguei com duas pizzas”, “ Conversei um pouco” ;
  • Marvin: “Quem você deu uma facada primeiro”, “A mulher”;
  • Patrick: “Na mulher”, “Depois a mais velha”, “De 3 anos”, “ Depois o moleque de 1 ano”;
  • Marvin: “Sai despercebido aí”, “Sai pela frente mesmo”, “De manhã como se fosse caminhar ou algo do tipo, sei lá”;
  • Marvin: “Concentra”, “Não falhe”, “Boa Sorte”;
  • Patrick: “Até eu duvidei de mim”, “Eu pensei que ia ter nojo”, “Mas eu me convenci de uma coisa”, “Eu sou um doente mesmo”;
  • Patrick: “Se eu fosse preso aqui de boa”, “Nem ligava”, “Ia ficar numa cela só para mim”.

Para o Ministério Público, houve participação de Marvin no #Crime, mesmo à distância, pois ele dá orientações de como Patrick deveria deixar a cena do crime.

Publicidade

E tem momentos da conversa em que ele relata o desejo de imaginar a cena, do amigo chegando para matar, e ainda da risada do fato.

Para a polícia, o momento mais marcante da intervenção do rapaz é o momento que o tio de Patrick, ainda vivo, está chegando em sua casa. Marvin alerta o amigo para se concentrar e não falhar, e ainda finaliza desejando boa sorte.

Em outro trecho da conversa, o assassino confesso ainda conta ao amigo que não teria deixado rastros, que teria feito tudo de luvas. No celular aprendido ainda tinha as fotos do criminoso, posando ao lado dos corpos.

Todo material aprendido pela polícia brasileira foi encaminhado às autoridades espanholas. Marvin segue preso, estando à disposição da justiça. #Investigação Criminal