O jovem estudante norte-americano Austin Harrouff, de 19 anos de idade, é suspeito de #canibalismo. Ele é acusado de assassinar um casal em sua residência e comer o rosto do homem. O rapaz teria dito a um policial que precisava de ajuda porque tinha comido algo estragado, em seguida, concluiu que tinha se alimentado de humanos, chegando inclusive a cuspir um pedaço de carne humana durante o tempo que esteve em um hospital.

O #incidente ocorreu na cidade de West Palm Beach, no estado norte-americano da Flórida, onde o suspeito foi preso por policiais momentos depois. Ele também teria gritado para a polícia pedindo que atirassem nele.

Publicidade
Publicidade

Segundo suas palavras: "atirem em mim agora, eu mereço morrer". Austin foi denunciado pelo homicídio doloso do casal, John Stevens, de 59 anos, e Michelle Mishcon, de 53, do lado externo da casa onde os dois residiam. O caso ocorreu no dia 15 de agosto. O jovem atacou ainda o vizinho, Jeff Fisher, que tentou ajudar o casal. Ele é suspeito de morder o rosto e o corpo do homem, ao mesmo tempo em que produzia sons guturais, muito próximos aos gerados por alguns animais.

Segundo relatório divulgado pela polícia, mesmo após receber um choque elétrico e vários chutes na cabeça, Austin não teria soltado a vítima e ainda teria se mostrado anormalmente forte durante sua prisão. Para conseguir dominá-lo foi necessário inclusive o auxílio de um cão policial. Depois, ele passou cerca de dois meses em um hospital local em sérias condições de saúde.

Publicidade

A polícia acredita que o ele deve ter infgerido algum tipo de substância química, como o responsável pela manutenção da grama, encontrado na garagem da casa, que pode ter provocado algum efeito em seu comportamento.

Os exames feitos após sua prisão mostraram que Austin não havia usado drogas quando o incidente ocorreu e, que cerca de uma hora antes do ataque, ele ainda havia estado com sua família, em um restaurante que fica em torno de 6 quilômetros do local, de onde teria saído correndo após discutir fortemente com o seu pai #Casos de polícia