Tem coisas que a gente apenas acredita vendo. É o caso dessas mulheres da foto, que acabaram ficando despidas depois de terem sido obrigadas a isso. O motivo? Elas seriam criminosas muito procuradas. O episódio inacreditável aconteceu na cidade de Huatabampo, no México. As mulheres foram acusadas de estarem cometendo crimes sucessivos na localidade. Não demorou muito para que vídeos e fotos delas correndo sem nada em seu corpo viralizassem na internet. De acordo com informações do portal de notícias R7, em reportagem publicada nesta sexta-feira, 25, as senhoras estariam unidas com um objetivo, dar a "Elza", gíria utilizada quando alguém quer pegar alguma coisa que não é sua.

Publicidade
Publicidade

Nas imagens, é possível ver ainda elas sendo escoltadas por motociclistas, que impedem que elas peguem, por exemplo, roupas em varais.

Em entrevista à mídia local, Heliondo Soto, o prefeito da cidade onde o caso aconteceu disse que a situação era muito lamentável. Ele chamou até uma coletiva para falar sobre o problema, que acabou virando notícia em todo o mundo. Heliondo disse aos repórteres que o #Crime seria investigado e que a população não estaria certa em agir dessa forma. "Essa foi uma ação vergonhosa e condenável", disse ele resumindo tudo o que teria acontecido na cidade que governa. Heliondo disse que a investigação envolveria até o governo federal do México. O prefeito disse ainda que quer que os moradores que viram tudo ajudem a identificar as mulheres que aparecem na cena e também quem tirou a roupa delas.

Publicidade

O representante estatal garante que quem denunciar terá toda a proteção do programa de proteção de testemunhas do governo.

Até o momento, as mulheres que aparecem na cena não tiveram seus nomes identificados. O prefeito acredita que o caso pode ter sido passional e não um roubo, mas nas redes sociais internautas dizem que conhecem as supostas criminosas de longa data e que tiveram a lição merecida. O que achou disso tudo? Inacreditável, né? Não esqueça de comentar e compartilhar essa matéria.