Bethany Thompson, de 11 anos de idade, da cidade de Ohio, Estados Unidos, foi diagnosticada com um tumor maligno no cérebro aos 3. Desde então lutava contra o câncer e em 2008 conseguiu se curar da doença. Mas devido às sessões de radioterapia, ficou com deformidade em seu sorriso. A garota sofria de bullying por causa disso, e acabou se matando.

Após a cura, a criança ficou com um sorriso “torto” e os cabelos crespos, pois, as sessões de radioterapia causaram danos em sistema nervoso e deixaram essas sequelas. A garota vinha sofrendo constantemente com as “brincadeiras” dos colegas de escola. Ela havia sido uma guerreira incansável na hora de vencer o câncer.

Publicidade
Publicidade

Mas não aguentava mais o bullying e sentia péssima por isso.

A mãe da menina, Wendy Feucht, contou que no dia 19 de outubro, por não aguentar mais tanta provocação, a filha chegou em casa, pegou a arma e atirou contra si mesma, colando um fim em sua vida. No momento da tragédia seu padrasto dormia no quarto e ao ouvir o disparo saiu correndo mas já encontrou a garota morta.

De acordo com Feucht a filha não sabia onde a arma da família estava guardada. Provavelmente vasculhou a casa enquanto seu padrasto dormia, e a achou, cometendo o suicídio. A mãe está inconformada com a morte da filha, que venceu a luta contra o câncer mas perdeu para o bullying. Feucht contou ainda que Bethany chegou a desabafar com uma amiga e avisou que iria se matar, porque não aguentava mais as agressões que sofria, estaria sendo insuportável para ela viver daquela maneira.

Publicidade

A mãe afirma que procurou a direção da escola em que a filha estudava, para comunicar as frequentes ações de bullying vivenciadas por sua filha. Isso teria acontecido apenas alguns dias antes da morte da garota. O diretor da instituição de ensino disse que estava investigando o caso, mas nada foi feito. Após a morte de sua filha, Feucht lamenta, e diz que algo precisa mudar no sistema de ensino, pois se houvesse uma intervenção nada disso teria acontecido.

A garota estudou por toda vida na mesma escola, e mesmo todos já sabendo de toda sua história, de sua luta e vitória contra o câncer, um grupo de rapazes insistiam em provocar a adolescente.

Wendy Feucht emocionada disse que perdeu a melhor parte de sua vida: “Tem uma peça faltando” afirmou ela à CNN. O pai da garota acrescentou, “Ela era minha princesa, minha menina. Minha vida girava ao redor dela”, desabafou Paul Thompson. #Crime #Investigação Criminal