Nos Estados Unidos, não é apenas a disputa entre #hillary clinton e #Donald Trump que está apertada, em vários outros estados, a luta entre a cor vermelha e azul se desprende de forma acirrada. Confira como andam algumas das eleições mais importantes espalhadas pelo território da maior potência mundial:

Florida

Miami — Após ver suas esperanças para Presidente desmoronarem e voltar para uma tentativa de ganhar seu assento no senado, o Senador Marco Rubio espera ganhar seu segundo mandato na disputa contra seu rival, Patrick Murphy.

Apesar do Sr. Rubio, 45, ser um candidato mais conhecido e melhor financiado, a disputa tornou-se acirrada após ter sido ridicularizado e chamado de “Pequeno Marco” pelo candidato à presidência dos EUA, Donald Trump.

Publicidade
Publicidade

Já Murphy, 33, foi apontado, pelo seu rival, como privilegiado e dependente das fortunas e conexões de seu pai.

Sendo um dos candidatos mais novos a lutar por uma eleição de alto nível no Senado, foi acusado, por sua vez, de aumentar seu currículo e ter realizado pouco no Congresso durante seus dois mandatos.

Os dois candidatos adotaram críticas opostas em várias questões, com Murphy apoiando os direitos ao aborto, um aumento do salário mínimo, a Lei de Cuidados Acessíveis e o fim do embargo econômico dos Estados Unidos contra Cuba.

Missouri

Springfield, Mo. — Em um estado onde Hillary Clinton e Obama são muito impopulares, o senador Roy Blunt, republicano que serviu no Congresso por quase duas décadas, enfrenta um desafio inesperado de Jason Kander, um secretário de Estado democrata de 35 anos.

Publicidade

Não era esperado que Missouri seria um dos campos de batalha privilegiados na disputa para o controle do Senado. Embora Missouri tenha sido um estado vermelho confiante nos últimos anos, o apoio de Blunt ao Sr. Trump cortou alguns dos eleitores que tradicionalmente o apoiavam.

Blunt também teve que enfrentar um candidato tão bem posicionado quanto um democrata pode ser em um estado de direita como Missouri. Kander é um veterano militar que foi visto como uma distante possibilidade, quase nula, quando ele anunciou sua candidatura no ano passado.

Contudo, ele cresceu nas pesquisas depois de lançar um anúncio divulgando seu apoio a Segunda Emenda e provocando seu oponente sobre quem realmente conhecia o caminho a respeito de armas de fogo neste estado violento.

Illinois

Chicago - O senador Mark S. Kirk, de Illinoism, está tentando vencer o desafio de ganhar da representante democrata Tammy Duckworth. Republicano de centro com alianças bipartidárias, Sr. Kirk, caminhou por uma linha tênue num estado que tende a votar pelos democratas, especialmente nos anos das eleições presidenciais.

Publicidade

O modelo tem crescido cada vez mais emaranhado neste ano de disputa eleitoral. Algumas das posições de Kirk apelaram para os democratas e independentes (ele tem apoiado os direitos dos homossexuais, por exemplo), e ainda arriscou irritar sua base republicana ao longo do caminho ao dizer que apoiaria Donald J. Trump se ele fosse o candidato presidencial do partido, e logo após se afastou.

O feito diminuiu consideravelmente as chances do Sr. Kirk, que apenas alguns dias antes das eleições, estava a denegrir os antecedentes de Duckworth, 48, uma veterana militar que perdeu as pernas na guerra do Iraque depois que o helicóptero Black Hawk que estava co-pilotando foi derrubado em 2004.

O esforço de reeleição do Sr. Kirk, 57, um ex-reservista naval que anteriormente serviu na Câmara dos Deputados, foi comprometido por um problema médico. Kirk teve um acidente vascular cerebral em janeiro de 2012 e ficou afastado por cerca de um ano durante seu primeiro mandato no Senado para se submeter a operações e reabilitação. #Eleições EUA 2016