Embora não existam técnicas precisas para prever terremotos, o avassalador abalo sísmico de 7,8 graus de magnitude, que atingiu a Nova Zelândia no domingo (13), inclusive a capital, Wellington, foi prenunciado uma semana antes, em 6 de novembro, por um indivíduo chamado Nigel Antony Gray.

Contudo, ao contrário dos paranormais, que projetam eventos futuros baseados na intuição, o neozelandês presumiu o #Terremoto como sendo efeito da forte atração gravitacional da Lua com a Terra, durante o Big Moon - período de maior aproximação do astro dos últimos 70 anos.

De acordo com o periódico inglês Daily Mail, de segunda-feira (14), Gray escreveu no Facebook para os habitantes do país “prestarem atenção num grande terremoto” em 14 de novembro, e nos dias próximos ou depois dessa data.

Publicidade
Publicidade

Antony, cujo o perfil da rede social indica predileção por teorias conspiratórias, também aconselhou os moradores a estocarem comida e água – uma semana antes do evento.

Porém, pouco tempo após os tremores, ele deletou o alerta que havia emitido na rede social. No entanto, devido ao fato do certeiro anúncio ter viralizado na internet, usuários divulgaram o que ele havia dito (veja na foto galeria).

Ainda, na manhã de segunda-feira, A Defesa Civil da Nova Zelândia emitiu um extenso comunicado em sua página do Facebook, onde enfatizou que os cientistas estão trabalhando para compreender o complexo evento.

A entidade também ressaltou a necessidade dos habitantes “cuidarem de si mesmos e dos entes queridos”. Abaixo, veja o comunicado oficial.

Clarão no céu durante os tremores

Além do terremoto, intensos clarões testemunhados no momento do evento surpreenderam milhares de testemunhas, que gravaram o episódio e o divulgaram no Youtube.

Publicidade

Mesmo que os incomuns flashes azuis, registrados em apenas 0,5% dos casos, tenham assombrado milhares de indivíduos, a ciência explica que eles derivam de um fenômeno conhecido pelo termo ‘luzes de terremoto’, que são cargas elétricas originadas a partir da fricção das pedras situadas na crosta terrestre.

Pesquisadores avaliam que a energia originada pelo atrito escapa pelas fissuras nas rochas, onde bolsas de ar na atmosfera são ionizadas, originando plasmas que emitem os insólitos clarões.

Abaixo, veja duas gravações das luzes azuis no momento dos tremores.

#Mídia #Curiosidades