O recém-eleito presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, parece estar bem distante da calmaria e sensatez. No último domingo (13), em entrevista ao ’60 Minutes’ da CBS, ele revelou suas intenções para o governo da nação mais poderosa do mundo. Trump afirma que sua primeira medida será deportar mais de três milhões de imigrantes que não estão legalizados na terra do ‘Tio Sam’. Muçulmanos serão banidos e não haverá tolerância com quem não está devidamente documentado.

Sobre o polêmico muro no México, Trump está de fato levando isso a sério, e tem planos para murar e cercar toda a extensão que faz divisa com seu país. Ele fez questão de ressaltar que, no momento, os Estados Unidos sofrem com mais de 11 milhões de imigrantes ilegais e muita criminalidade por parte de membros de gangues, traficantes, entre outros, e que onde não houver deportação, haverá a prisão.

Publicidade
Publicidade

Ele fala em uma ‘fronteira segura’, onde apenas pessoas consideradas ‘fantásticas’ poderão retornar. Segundo #Donald Trump, o México não manda para a América gente de bem, mas sim os problemáticos, que migram junto com seus respectivos problemas, incluindo, estupradores, entre uma série de outros crimes.

Durante toda sua campanha, o empresário fez questão de salientar medidas extremas para combater a criminalidade, o terrorismo, a alta dos juros e o desemprego do povo americano. E isso deixou o mundo de ‘cabelo em pé’, afinal, são medidas radicais que podem gerar conflitos sérios por toda a parte. Uma outra decisão não agradou muita gente: o fim do Obamacare, programa de saúde do governo do presidente Obama. E a mais temida, que é ampliar consideravelmente o porte de armas de fogo aos civis, visando a defesa pessoal.

Publicidade

O governo de Donald Trump promete ser um dos mais polêmicos vistos até hoje. Medo e esperança andam lado a lado com o povo americano, uma nação dividida entre o radical e o passional, onde muitas pessoas já estavam cansadas de tanta diplomacia, e a resposta do povo nas urnas no último dia 8 de novembro foi definitiva. #Presidente Americano #Estados Unidos da América