O pastor Lethebo Rabalago, de vinte e quatro anos, da África do Sul, virou notícia em todo o mundo. Tudo porque ele fez uma espécie de culto muito estranho. Dizendo que recebeu uma missão divida, Lethebo está levando multidões até sua igreja. Em troca de alguns trocados, ele lança nos fiéis um inseticida, do mesmo tipo que se mata mosquitos. De acordo com o religioso, a substância teria a capacidade de tirar o demônio. Ele ainda informa que aquele líquido, quando benzido com muita fé, seria capaz, inclusive, de tirar enfermidades que a ciência está há décadas afim de achar uma cura, como a Aids e o câncer. Sem dinheiro e recursos, africanos acabam indo ao culto. Alguns garantem ficar bem

Outros caem no chão, como mostram as imagens abaixo.

Publicidade
Publicidade

Eles parecem estar passando mal por terem inalado o inseticida. No entanto, o pastor evangélico diz que aquilo é uma possessão demoníaca, com o mal lutando contra Deus afim de não querer deixar os seus hospedeiros, que no caso são as pessoas que tem as doenças mais graves. No desespero e já tentando várias terapias, esses fiéis acabam aceitando esse desafio curioso. "Nós estamos glorificando a Deus. Queremos que Deus seja visto. Estamos dizendo que com Deus tudo é possível", diz em uma das mensagens publicadas na internet o religioso.

Críticas em tom severo

Apenas uma das fotos publicadas pelo homem que se diz um profeta teve mais de mil compartilhamentos. Ele usa trechos da bíblia afim de tentar justificar sua prática. Para internautas, entretanto, o religioso apenas estaria deturpando o livro sagrado para o cristianismo.

Publicidade

Isso fez com que pessoas se irritassem nas redes sociais e o denunciassem. A maioria das réplicas desse caso são negativas no Facebook, demonstrando que nem todo mundo acredita em tudo. Ele é acusado de charlatanismo e curanderismo, prática comum na África.

Veja abaixo fotos que exibiriam os demônios deixando os corpos dos fiéis desta igreja. E aí, você acredita nesse tipo de coisa? Comente e compartilhe essa história!

#Religião