Um homem foi preso acusado de estuprar uma criança de apenas 4 anos. Ele estava na delegacia quando um grupo de pessoas conseguiu invadir o local e dar início ao linchamento.

O crime aconteceu na cidade de Reyes, Bolívia, e pelo menos 4 pessoas suspeitas de terem participado do linchamento já foram identificadas e presas. O vídeo que tem todas as imagens gravadas acabou indo parar nas redes sociais e agora a polícia investiga também como é que as imagens acabaram vazando.

A polícia já identificou mais 6 pessoas que participaram da morte do estuprador, sendo que pelo menos quatro são mulheres e elas foram presas posteriormente.

Publicidade
Publicidade

Todos terão que prestar depoimento, de acordo com Dolyy Quiroga, promotora responsável pelo caso.

A menina sumiu de casa no último sábado. Os familiares deram falta dela durante a madrugada. Imediatamente eles ligaram para a polícia que foi até a residência. Depois de muito procurar, a criança acabou sendo encontrada, mas já sem vida. Ela estava próxima à casa onde morava e tinha vários sinais de #Estupro.

Não demorou muito para que a polícia conseguisse prender o suspeito que foi encaminhado até a delegacia local. Assim que o dia amanheceu e a população ficou sabendo do ocorrido, um grupo de pessoas foi para a delegacia, no intuito de executar o estuprador. Quando chegaram ao local, a população não teve muita dificuldade para invadir a delegacia, que estava com um baixo número de policiais.

Publicidade

Os agentes bem que tentaram impedir a invasão, mas não conseguiram, pois eram muitos populares.

O suspeito de estuprar a menina foi retirado da cela e começaram a agredi-lo. Em seguida, ele foi arrastado para fora da cadeia e levado até uma praça, onde acabou sendo enforcado.

A polícia local informou que o sujeito já tinha antecedentes criminais e chegou a confessar aos policiais que tinha mesmo estuprado a criança. Autoridades bolivianas estão acompanhando o caso para descobrirem quem mais participou do linchamento, para que todos os envolvidos possam ser punidos. #Pedofilia #Mundo